AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






O choro de Raquel pelas crianças sacrificadas em Belém

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O choro de Raquel pelas crianças sacrificadas em Belém

Mensagem por Admin em Seg Abr 09, 2012 4:22 pm




Morte pela morte: restauração.

Uma eterna negação quanto ao ocorrido, incorrendo que Mateus possivelmente, tenha feito acréscimos na Escritura, sem qualquer razão para fazê-lo.

Eis a passagem tão discutível, sobre uma ordem de Deus para José:

"Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz: Em Ramá se ouviu uma voz, Lamentação, choro e grande pranto: Raquel chorando os seus filhos, E não querendo ser consolada, porque já não existem. " Mateus 2:13 a 18

Qual o motivo para Herodes querer matar o menino, seria uma possível perda do trono?

Herodes queria matar, ou o diabo queria acabar com o objetivo de Deus?

Historicidade: Não há nenhuma evidência contemporânea ao Massacre. O primeiro relato aparece em Mateus, que foi escrito por volta de oitenta anos depois do evento. Herodes (73 a.C. - 4 d.C.), por outro lado, é um personagem real na história, rei da Idumeia, Judeia, Samaria e Galileia. O seu pai era um idumeu. O relato de Mateus é consistente com a personalidade de Herodes, que foi relatado como sendo impiedoso na defesa de seu poder e notório por sua brutalidade, o que, porém, sustenta plausibilidade e não historicidade. O Massacre também não é mencionado no Evangelho de Lucas e por nenhum dos historiadores contemporâneos ou pelo historiador judeu Flávio Josefo. (Wikipédia: Fuga para o Egito)

Jeremias (o profeta) realmente predisse:

" Assim diz o SENHOR: Uma voz se ouviu em Ramá, lamentação, choro amargo; Raquel chora seus filhos; não quer ser consolada quanto a seus filhos, porque já não existem. Assim diz o SENHOR: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há galardão para o teu trabalho, diz o SENHOR, pois eles voltarão da terra do inimigo. " Jeremias 31:15 a 19

Mateus teve certeza que foi o cumprimento dessa profecia, quando Herodes intentou matar Jesus ainda bebê, promovendo uma matança sem precedentes.

Portanto, o sentido da passagem parece claro: por muito que se empenhem os fortes da terra, não podem opor-se aos planos de Deus para salvar os homens. Nesse contexto deve-se examinar a historicidade do martírio das crianças inocentes, do qual só São Mateus nos dá notícia. Na lógica da investigação histórica moderna, diz-se que “testis unus testis nullus”, somente um testemunho não serve. Porém, é fácil pensar que a matança dos meninos em Belém, uma aldeia de poucos habitantes, não foi numerosa e, por isso, não passou aos anais. (Opus Dei:O que foi a matança dos inocentes? É um fato histórico?)

E qual o motivo da menção de Raquel, não seria ela, assim como Bila responsável, por dar a luz aos filho de Jacó?

"E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre. E ela concebeu, e deu à luz um filho, e disse: Tirou-me Deus a minha vergonha. E chamou-lhe José, dizendo: O SENHOR me acrescente outro filho. " Gênesis 30:22 a 24

Raquel faleceu ao dar a luz a Benjamim:

"E partiram de Betel; e havia ainda um pequeno espaço de terra para chegar a Efrata, e deu à luz Raquel, e ela teve trabalho em seu parto. E aconteceu que, tendo ela trabalho em seu parto, lhe disse a parteira: Não temas, porque também este filho terás. E aconteceu que, saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni; mas seu pai chamou-lhe Benjamim. Assim morreu Raquel, e foi sepultada no caminho de Efrata; que é Belém. E Jacó pôs uma coluna sobre a sua sepultura; esta é a coluna da sepultura de Raquel até o dia de hoje. " Gênesis 35:16 a 20

É impossível não se comover com esses acontecimentos, a tristeza de Jacó, na perda irreparável de sua amada esposa, bem como a incrível coincidência, dela mesma ser enterrada em Belém, cidade em que ocorre o sacríficio das crianças, promovido a mando de Herodes, embora muitos queiram mascarar que isso possa ter ocorrido.

O que possivelmente Jeremias quer dizer, é que ao ter o privilégio, de ser a matriarca de toda uma geração, envolta numa promessa, feita a Abraão primeiramente, ela provavelmente faz parte do simbolismo da profecia, que induz ela chorar, pelos filhos que já não existem, embora ela pareça receber o consolo que vem do alto.

No livro maravilhoso de Rute, vemos a exaltação tanto de Raquel, quanto de Bila:

" Somos testemunhas; o SENHOR faça a esta mulher, que entra na tua casa, como a Raquel e como a Lia, que ambas edificaram a casa de Israel; e porta-te valorosamente em Efrata, e faze-te nome afamado em Belém. "  Rute 4:11 a 13

A promessa se manteve firme, não seria Rute, bisavó do rei Davi?

Raquel foi determinanente na edificação da casa de Israel, quando portanto ela é lembrada por Mateus, ele se refere a profecia de Jeremias, existe aqui um mistério para o incrédulo, pois, Jesus nasceu em Belém, ainda, que se apresentem os duvidosos.

Herodes (o diabo) achou que poderia, dissipar todos os designíos de Deus, previamente elaborados, para salvação de todo aquele que crê.

Aquele bebê protegido por lágrimas, se tornou a esperança da posteridade, o redentor que veio confirmar a promessa aos patriarcas, ele participando do sangue e da carne, sustentou todas as coisas, para que através da sua morte, pudesse exaltar a cabeça de muitos, que sofreram enxergando o invisível.

"Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo, e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte. Pois é claro que não é a anjos que ele ajuda, mas aos descendentes de Abraão. " Hebreus 2: 14 a 16

Aqui está o consolo para a atitude insana de Herodes.



----------

P.s.: Raquel morreu em parto no caminho da casa de Jacó. A parteira lhe fala no meio do nascimento que a criança é um menino, lhe saindo a alma, Raquel olhou e o chamou de Benoni (filho de minha dor), porque morreu, mas seu pai chamou-lhe de [[FILHO DA FELICIDADE. . E foi enterrada por Jacó na estrada para Efrate, próxima a Belém (Cisjordânia). Hoje a Tumba de Raquel, situada entre Belém e o bairro de Jerusalém de Gilo (Gen. 35-20), é visitada por milhares de pessoas cada ano. (Wikipedia)



Admin
Admin

Mensagens : 3189
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O choro de Raquel pelas crianças sacrificadas em Belém

Mensagem por Admin em Sab Jun 14, 2014 12:55 pm

.

Admin
Admin

Mensagens : 3189
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum