AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Ancião Marcos Machado em Capão Bonito, SP, por ele mesmo (O culto da bajulação!)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ancião Marcos Machado em Capão Bonito, SP, por ele mesmo (O culto da bajulação!)

Mensagem por Admin em Ter Abr 16, 2013 7:17 pm



Ancião Marcos Machado em Capão Bonito, SP, ele mesmo, conforme http://www.ccbverdade.com.br/nepotismo-ccb.htm




Culto na Congregação da Vila Santa Izabel ou Barro Preto, 7 de abril de 2013, domingo.

Igreja de 300 lugares hiperlotada, irmãos músicos chegando de várias outras localidades, com irmãs e irmãos de pé devido a falta de lugares.

No ministério, entre outros, o cooperador local irmão Nelson de Rondônia, o cooperador da Vila São Paulo irmão Adil, e os anciãos Marcos Machado e Maurício da Costa.

Assim que terminou o hino de abertura, o ancião Marcos Machado assumiu imediatamente a presidência e sem demora, convocou a toda a irmandade para a comunhão de oração de súplica.

Após a oração, o ancião Marcos passou a explicar para a irmandade que o irmão Zé (Jacaré), encarregado de orquestra daquele local, por motivo de emprego necessitou se mudar para Votorantim.

“A obra de Deus é assim, sai um e vem dez...”, esclarecia o ancião.

Agradecendo a Deus, apresentou para a irmandade o novo encarregado de orquestra para aquela localidade, o irmão Douglas dos Santos Machado, seu filho.

Após muitas orações e confirmações, segundo o ancião, Deus havia confirmado seu filho para ser o encarregado de orquestra daquela localidade.

O ancião chamou seu filho para agradecer a Deus do púlpito. O irmão Douglas subiu no púlpito e agradeceu e glorificou a Deus por essa bênção, contando para a irmandade que tudo era confirmação de uma revelação que ele tivera anos atrás.

Foi um testemunho maravilhoso e edificante para a igreja e para cada um
individualmente.

Para mim foi, e me alegrei no meu coração por essa bênção e honra de Deus ao irmão Douglas, senti o favor de Deus sobre ele, pois, para mim, o filho é até mais humilde do que seu pai ancião.

Em seguida, o ancião Marcos Machado chamou outro encarregado musical regional, o irmão Ezequias, que no púlpito, sem rodeios, foi logo disparando o que ninguém esperava ouvir : “Ai de quem se levantar contra a obra de Deus criticando o que Deus confirmou com o irmão Douglas...ou alguém aqui acha que só porque o irmão Douglas é filho de ancião não mereceria esta bênção...Nesta obra, temos que estar todos em comunhão, em prudência e humildade...Antes de vir para este culto, antes de sair de minha casa, minha esposa insistiu em vários momentos para eu lhe dizer quem era o novo encarregado musical desta igreja aqui...Eu respondi a minha esposa que jamais lhe contaria antes desta confirmação e deste culto...Vai ter muito falatório mas ai daquele que criticar esta obra e o operar de Deus nesta obra!”

Após o irmão Ezequias, o ancião Marcos Machado chamou o encarregado musical regional mais antigo, o irmão Tonico, que no púlpito testemunhou bonito, contando as obras de misericórdia e de bênçãos de Deus sobre ele desde 54 anos atrás, lá no distante ano de 1958. Foi um testemunho edificante para toda a igreja, com simplicidade e humildade,
sem bravata, ameaça e arrogância.

Após o pronunciamento destes três irmãos, o ancião Marcos Machado convocou a igreja para todos novamente se dobrarem para uma segunda oração pelo irmão Douglas.

Foi uma fervorosa oração, até parecia estar sendo ungido um ancião ou um diácono.

A igreja veio abaixo, em glórias e linguagens das mais diversas, com redobrado fervor muito mais que na oração inicial de súplica e na oração final de encerramento do culto.

Após esta cerimônia, ficamos estupefatos: naquela condução do culto, o ancião suprimiu a parte para os santos testemunhos, tantos irmãos visitantes que haviam comparecido alí naquela noite para pagar seus votos e glorificar a Deus, ficaram automaticamente impedidos.

Não havia mais o que se fazer. Estava escancaradamente evidente o poderio do querer, do fazer-como-bem-quiser do ancião Marcos Machado.

Com o horário já extrapolado, passou à espera da revelação da palavra.

Subiu na palavra o ancião Maurício da Costa, ancião abaixo de tempo do ancião-mor Marcos Machado.

Disse para a igreja Deus lhe ter revelado a palavra em 16 de 1 Samuel, Deus manda Samuel ungir a Davi.

Como de costume, inicialmente, disse não ser de costume dele se levantar na palavra diante do ancião mais velho, o irmão Marcos Machado, e após a rasgação de seda, passou a pregar a palavra, parafraseando Davi como o irmão Douglas. Quanto mais avançava na pregação, era Douglas e Marcos daqui, Douglas e Marcos de lá em toda a linhagem da pregação.

Por volta das 21:10h, metade da igreja, tendo percebido tardiamente o absurdo do que ocorria alí, a comunhão esfriou, os glórias se emudeceram, o ancião Maurício pedindo “comunhão igreja!” e metade da igreja sofrendo, pois todos necessitavam de uma parte, de um pedaço do pão mas...vai e vem, a pregação discorria sobre o irmão Douglas x ancião Marcos x obra de Deus no ministério.

Quanto mais ele prosseguia, tentando pregar mais espiritualmente para a igreja, mais ele se perdia...O máximo que ele conseguiu pregar nos minutos finais foi ... “fique na humildade, fazendo a vontade Deus, que a prosperidade recairá também sobre sua casa”.

Ao final, o culto se encerrou às 21:25h.

O que se assistiu nessa data, foi, praticamente o homem idolatrando o homem. O poderoso chefão ancião Marcos Machado transformou o culto numa festa de exaltação a seu filho Douglas.

É óbvio e indiscutível que nosso irmão Douglas é merecedor dessa bênção de Deus, não só por ter sido um amoroso instrutor musical, mas, principalmente, por seu excelente testemunho e humildade. E como já disse anteriormente, o irmão é um caro servo de Deus muito mais humilde do que seu próprio pai, o ancião Marcos Machado.

Após ter sido suficientemente apresentado à irmandade, o culto deveria ser conduzido para toda a igreja, sem quebrar o protocolo.

Porém, o que se viu, foi uma festa “política”, de poder de quem detém o status, o prestígio, de quem se resguarda acima das ovelhas, por ter sido ungido e assim se achando intocável.

Sem falar da parte “maçônica” do irmão Ezequias em não contar para sua esposa, nossa irmã, organista e examinadora musical, a decisão do ministério que dele já era conhecida quanto à escolha do irmão Douglas.

Que Deus tenha misericórdia de mim e de todos nós.

O apóstolo Paulo nos exortou a pedir também o dom do discernimento dos espíritos. Assim, ao discernir a manifestação desses espíritos ditadores e opressores no próprio ministério, diante de uma ocorrência chocante como essa, é difícil disfarçar e
ocultar o sofrimento da igreja e a angústia no coração da irmandade.

E ainda cinicamente, o mesmo ministério que alerta com ameaças como se fossem vindas de Deus, cinicamente exorta para a humilhada igreja que cada um abaixe a crista e se mantenha na humildade.

É algo assim: se eu, ancião, te magoei, te humilhei, você, irmão, reaja assim: se humilhe ainda mais. O esquema é esse: eu te humilho, você se humilha. Você me humilha, eu e todo o ministério te entregamos nas mãos de Deus e Deus se encarregará de arrancar você daqui, porque o que é palha voará, sai um e entrará dez no seu lugar.

Helder Gustaf Belchior
hgbelch@gmail.com
Site do Lourival

Admin
Admin

Mensagens : 3167
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

INVEJAAAAAAAAAAAAA

Mensagem por CÍUMES CCB em Qua Dez 04, 2013 2:43 pm

MAIS É UM INVEJOSOOOO...



CÍUMES CCB
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum