AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






78ª Assembléia – 2013 – Resumo de ensinamentos em São Paulo – 26 a 30 de março de 2013

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

78ª Assembléia – 2013 – Resumo de ensinamentos em São Paulo – 26 a 30 de março de 2013

Mensagem por Admin em Sex Maio 10, 2013 8:50 pm




78ª ASSEMBLÉIA – 2013 – RESUMO DE ENSINAMENTOS
SÃO PAULO – 26 A 30 DE MARÇO DE 2013


* 1. LEITURAS PERNICIOSAS
É sabido que nos dias atuais existem livros de caráter perverso os quais despertam em seus leitores a prática imoral. Há no mundo uma forte tendência para a leitura desses livros cuja prática estende-se não somente à mocidade como também aos demais adultos. Exortamos a cara irmandade a que se abstenham dessas leituras que são perniciosas as quais corrompem os bons costumes alcançados pela sã doutrina da Palavra de Deus.

* 2. ANIVERSÁRIOS E FESTAS – MÚSICAS PROFANAS E FANTASIAS.
No mundo é moda atual haver festas onde as pessoas se fantasiam e, ao som de músicas profanas e até imorais, com o consumo de bebidas alcoólicas, adentram-se até à madrugada. Exortamos à nossa mocidade, com também à toda irmandade, a não frequentarem essas festas, que não são convenientes ao povo de Deus.

* 3. COMUNICAÇÃO VIA “E-MAIL” E CELULARES (MENSAGENS E TORPEDOS).
Tem havido, entre a irmandade, comunicações feitas através de e-mails, mensagens por celulares e torpedos que, alguns necessitados, não tendo paciência e fé para esperar no Senhor, se valem desses recursos. Lembramos à irmandade que somos ensinados a confiar e esperar no Senhor, pois só d’Ele virá o socorro às nossas necessidades.

* 4. NAMORO E CASAMENTO ATRAVÉS DA INTERNET.
Tem se observado que persiste a prática de relacionamento via internet. Essa prática tem trazido sérios problemas para muitas famílias onde pessoas se conheceram por este meio, namoraram e casaram-se, porém não foram felizes, e isso ocorreu por falta de conhecimento das suas verdadeiras origens, as quais, pessoas mal intencionadas usaram essa prática provocando a infelicidade matrimonial. Em se tratando de casamento, é necessário conhecer a pessoa quanto à sua vida passada, seu caráter e testemunho, antes de assumir o compromisso de um possível matrimônio. O ministério exorta a irmandade e a mocidade a evitar essa prática.

* 5. COMEMORAÇÃO DO NATAL
Não comemoramos o natal. Não deve ser guardado porque ninguém sabe o dia do nascimento do Senhor Jesus, pois Ele não permitiu que ficasse escrito para que ninguém guarde o dia do seu nascimento.
* 6. UNÇÃO NÃO SUBSTITUI O BATISMO
A unção não substitui o batismo. Disse o Senhor Jesus: “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado”.
Ungir estranhos na fé depende de o servo sentir de fazê-lo. Exortamos a irmandade a não oferecer a unção à estranhos à nossa fé.

* 7. SONHOS – VISÕES – REVELAÇÕES
Nos testemunhos não se deve contar revelações, sonhos ou visões, antes de seu cumprimento. Deus dá essas coisas para edificação particular do crente. Nas congregações a revelação de Deus vem pela Santa e bendita Palavra. Se as revelações, sonhos ou visões são provenientes de Deus, vem também o seu cumprimento.

* 8. BOMBARDÕES E INSTRUMENTOS DE SOPRO NAS ORQUESTRAS
Tem-se notado ultimamente um número excessivo de instrumentos de sopro, principalmente bombardões, em muitas de nossas orquestras. Onde já existe uma quantidade suficiente, o ministério local deve vigiar para que não ingressem mais essas categorias de instrumentos.
Ainda nessas localidades deve-se,também, exortar os irmãos que tocam bombardões, bem como demais instrumentos fortes de sopro, que reduzam à metade o volume de som de cada um, quando tocarem nos santos cultos.
Outrossim, quando um irmão demonstrar interesse em aprender a música para tocar na igreja, é conveniente que consulte, primeiramente, o irmão encarregado da orquestra para saber qual é a categoria de instrumento mais necessária.

* 9. CORRENTES E PIRÂMIDES DA FELICIDADE
“Pirâmides”, “Correntes da Felicidade” ou outras novidades semelhantes, são procedimentos que estão se alastrando, prometendo dinheiro fácil aos participantes. Não devemos participar nem nos envolvermos nessas coisas.

* 10. NOME DE SERVO DE DEUS E LOCALIDADES
Durante os santos cultos não é conveniente, nos testemunhos, citar o nome do servo de Deus que está presidindo. Igualmente, tendo congregado em outra localidade, ao citar a Palavra que ouviu, não mencionar o nome do servo de Deus que pregou, evitando assim motivos para exaltação humana.

* 11. INVOCAÇÃO DE ANJOS
Não se deve mencionar nomes de anjos e ou arcanjo, tanto nas orações quanto nos testemunhos. Temos ouvido durante orações e testemunhos, irmãos que mencionam nome de anjos e arcanjo. Lembremos que o apóstolo Paulo disse aos Colossenses, “Ninguém vos domine ao seu bel prazer com pretexto de humildade e cultos dos anjos,metendo-se em coisas que não viu, estando debalde inchado em sua carnal compreensão” (Col. 2:18). Em Hebreus, cap. 1:4, o apóstolo falando de Jesus,menciona: “Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles”. Ainda falando aos Filipenses sobre Jesus diz: “Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo nome” (Fil. 2:9). Portanto, diz ainda aos Colossenses, “ E quando fizerdes por palavras, ou por obras, fazei tudo em Nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai”.

* 12. IMPORTÂNCIA DO AMOR
O amor é o dom de suprema excelência que a igreja possui. Quando o apóstolo Paulo escreveu aos irmãos Coríntios sobre a unidade dos membros do corpo, falava a respeito dos dons de Deus nos membros da igreja. Porém finalizando a carta escrita em 1ª Cor. 12:31, disse: “Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e Eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”. Esse caminho ainda mais excelente é a caridade que é o amor fraternal.
A igreja que é o corpo de Cristo consiste na operação dos diversos dons distribuídos aos seus membros, principalmente o dom do amor que é a caridade fraternal.
O amor fraternal nos conserva unidos e submissos à Palavra de Deus. Havendo falta desse amor a igreja torna-se enferma, perdendo as virtudes de Deus. É dever dos servos de Deus vigiar sobre o rebanho para cultivar esse amor, como escreve o apóstolo aos Hebreus: “E consideramo-nos uns aos outros, para nos estimularmos à caridade a às boas obras” (Heb 10:24).
Onde existem sentimentos humanos, os quais são: inveja, ciúme, orgulho, arrogância, soberba, vaidade, grandeza e exaltação humana, a igreja sofre as dores dessa enfermidade. Sabemos que Deus nos amou antes que existíssemos, e por esse amor, enviou seu unigênito Filho que por seu amor nos resgatou do pecado e da morte.
Portanto, amemo-nos mutuamente, “pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E Dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão” (I – Jo. 4:20).

* 14. ORAÇÃO FAMILIAR
A oração é o meio pelo qual nos falamos com Deus,apresentando-Lhe as nossas necessidades.Através da oração alcançamos conhecimento e revelações das coisas santas de Deus. Sempre que possível, devemos nos unir em família e buscar a Deus em oração, certamente as suas bênçãos serão alcançadas, pois muitos de nossos filhos receberam a promessa do Espírito Santo nesse ajuntamento (Atos 2:33). A oração é recomendação do Senhor Jesus. Em Luc. 18:1, diz o Senhor Jesus, “E contou-lhes uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer”. Em Romanos cap. 12:12 o apóstolo recomenda, “perseverai na oração”.
Os nossos filhos devem ser instruídos quanto a necessidade de oração, quando se levantam da cama pela manhã, dar graças a Deus antes das refeições e ao se deitarem.
Outrossim, a oração dos pais em conjunto com os filhos une as famílias, evitando o rompimento da união familiar.

* 15. VIGILÂNCIA QUANTO À ESPIRITUALIDADE DOS CULTOS – PERIGO DA DISSOLUÇÃO DA SUA PUREZA.
Não durmamos a respeito dos santos princípios que nos foram transmitidos. Muita oração e vigilância tornam-se necessárias. Pela inspiração do Espírito Santo o apóstolo Paulo ensinou o silêncio, a decência e a ordem entre nós, quando a igreja se congrega num lugar para celebrar o santo culto a Deus. (I – Cor. 14, v. 23, 25, 28, 34 e 40).
Preocupava também o apóstolo com a impressão causada aos visitantes que entrassem para assistir ao culto porque, conforme o comportamento da igreja, ou testificariam que Deus estava entre eles, ou as visitas sairiam escandalizadas.
A ordem, a decência e o silêncio nos cultos são reflexos da espiritualidade e da luz que estão no servo de Deus que preside, o qual não só maneja bem a Palavra da verdade em sua pregação, com sábia explicação de conselhos que abrem a mente do povo, como também conduz a irmandade a estar sob o controle do Espírito de Deus, para que haja moderação e luz nas orações, nos testemunhos e no comportamento de cada um durante o culto divino.
Se não for assim, os cultos transcorrerão debaixo de entusiasmo carnal, exibição pessoal nos testemunhos e nas orações, exageros, gritarias infantis, sem discernimento do que é decente para a igreja de Deus; com isso dissolve-se a pureza dos cultos, ocasionando escândalos e mau testemunho.
Insistimos com nossos conservos sobre a vigilância a respeito de certos grupos de irmãos que, sem preparo espiritual, se introduzem nas igrejas e com suas manifestações concentram sobre si a atenção da irmandade, com orações, glorificações e testemunhos exagerados e gritando ao máximo da altura da voz, visando inflamar os presentes, desviando-se totalmente do sentido sacro que deve haver em nossos cultos.
Com o passar do tempo algumas igrejas estão como que habituando-se a essa rotina nos cultos, o que reflete uma dormência espiritual.
Quando o irmão do ministério que preside o culto percebe que isto vai ocorrer, deverá exortar e não deixar o culto à mercê e ao domínio desses grupos, mas exortar pelo Espírito do Senhor a que se controlem e, assim, evitará que um espírito estranho tenha ocasião de perturbar.
Há manifestações que são do Espírito de Deus e outras não. Compete ao que preside discernir o que é de Deus e o que não é, e ensinar a irmandade. Os mais antigos no ministério orientem os mais novos.

* 16. HINO DE BATISMO (Antigo 195 – Atual 85)
O Hino atual 85 é constituído de apenas uma parte, podendo ser cantado normalmente durante o batismo.

Admin
Admin

Mensagens : 3139
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum