AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/on line: Malaquias 4 ("Vejam, eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor...)

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/on line: Malaquias 4 ("Vejam, eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor...)

Mensagem por Admin em Dom Nov 10, 2013 6:52 pm




Palavra - Malaquias 4



"Pois certamente vem o dia, ardente como uma fornalha. Todos os arrogantes e todos os malfeitores serão como palha, e aquele dia, que está chegando, ateará fogo neles", diz o Senhor dos Exércitos. "Nem raiz nem galho algum sobrará. Mas para vocês que reverenciam o meu nome, o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas. E vocês sairão e saltarão como bezerros soltos do curral. Depois esmagarão os ímpios, que serão como pó sob as solas dos seus pés no dia em que eu agir", diz o Senhor dos Exércitos. "Lembrem-se da lei do meu servo Moisés, dos decretos e das ordenanças que lhe dei em Horebe para todo o povo de Israel. "Vejam, eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor. Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais; do contrário eu virei e castigarei a terra com maldição. " Malaquias 4:1-6
Graça e paz, muita paz. Realmente Malaquias fala ao povo de Israel, do desprezo contra a sua sagrada lei. O profeta do Senhor enfatiza advertências contra os sacerdotes levitas (2:1), que eram responsáveis pelo templo. Certamente que os lábios do sacerdotes, deveriam guardar o conhecimento, diz Malaquias que das suas bocas o povo esperava a instrução da lei, “... porque ele é o mensageiro do Senhor dos Exércitos” (Malaquias 2:7), contudo, quem deveria ligar ao caminho, desviou-se dele e pelo seu ensino errôneo “...causaram a queda de muita gente...quebraram a aliança de Levi", diz o Senhor dos Exércitos” (Malaquias 2:7-8). O livro se situa entre 430 e 433 A.C., era pós exílio em que Israel parecia alienado a verdade:

“Judá tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalém; Judá desonrou o santuário que o Senhor ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros. “ Malaquias 2:11

Malaquias faz várias denúncias contra as infidelidades matrimoniais dos israelitas, “"Eu odeio o divórcio" (Malaquias 2:16), ordena o Senhor que mantenham o senso, que não sejam infiéis com a mulher da sua mocidade, aqui o tratamento com a infidelidade, é bem diferente dos nossos dias, qualquer ressalva necessária, cada um deve se guiar pelo Espírito. Amados, o Senhor promete enviar um mensageiro (Malaquias 3:1), “quem suportará o dia da sua vinda”?, quem ficará de pé quando ele aparecer?”, porque ele será como o fogo purificador, o sabão que retira as manchas. Deus promete purificar os levitas, fazer deles como se faz com o ouro e a prata, com objetivo de trazerem ofertas justas diante de Deus. Todos sabemos que os sacerdotes de Israel, descendiam dos levitas, de Arão, um futuro agradável estava anunciado nas promessas do Senhor, “...as ofertas de Judá e de Jerusalém serão agradáveis ao Senhor, como nos dias passados, como nos tempos antigos” (Malaquias 3:4). O juízo do Senhor acarretará a sentença contra os feiticeiros, os adúlteros, os falsos injuriosos, os exploradores dos trabalhadores, opressores dos órfãos, viúvas, estrangeiros.

Diz o Espírito Santo: “De fato, eu, o Senhor, não mudo. Por isso vocês, descendentes de Jacó, não foram destruídos” (Malaquias 3:6), os antepassados já há muito se tinham desviados dos decretos do Senhor, mas uma palavra de misericórdia ecoa entre a nação amada, “Voltem para mim e eu voltarei para vocês" (Malaquias 3:7), como hoje, nos dias de ontem, sempre vai existir a pergunta “como voltaremos ao Senhor depois de pecarmos” (Malaquias 3:7), Deus explica que um homem não pode roubar a Deus, mesmo assim, a nação estava roubando o Senhor, logo, estavam debaixo de grande maldição, indiscutivelmente toda a nação estava roubando ao Senhor, do povo ao sacerdote (Malaquias 3:9), nos dízimos e nas ofertas. Um sublime pedido faz o profeta, que o povo trouxesse novamente o dízimo ao templo, colocando o Senhor a prova, com essa obediência, as comportas dos céus se abririam para derramar bençãos sem fim (Malaquias 3:10).

Outros benefícios:

“Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão o seu fruto", diz o Senhor dos Exércitos. "Então todas as nações os chamarão felizes, porque a terra de vocês será maravilhosa", diz o Senhor dos Exércitos.” Malaquias 3:11-12

Amados, qualquer uso indevido das palavras do Espírito, o acréscimo será cobrado do usurpador. Comum nas religiões cobrarem dízimos e ofertas, como base de troca para uma benção, que nós não sejamos assim para com Deus, o que Israel estava fazendo era um desacato a lei divina, ocorre também que as religiões não cumpre toda a lei, para exigirem dela o seu conteúdo integral.

“Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. “Tiago 2:10


O profeta revela as duras palavras do povo contra Deus, audaciosos perguntavam, “o que temos falado contra ti?” (Malaquias 3:13), para eles inútil era servir a Deus, não ganhavam nada obedecendo aos preceitos ou lamentando diante do Senhor dos Exércitos (Malaquias 3:14). Se existe alguma semelhança com a igreja atual? Talvez seja uma pergunta necessária, sendo a palavra de Deus inspirada, os israelitas se encontravam descrentes, quando então a fé é vacilante, achamos até mesmo que os praticantes do mal, conseguem escapar ilesos quando desafiam o Senhor (Malaquias 3:15), era exatamente isso que o povo achava do Senhor. Malaquias destaca que em meio aOs arrogantes, alguns temiam ao Senhor, Deus se mostrou favorável a eles, escutou suas lamentações (Malaquias 3:16), um memorial foi escrito em memória a eles, simbolizando a lembrança de uma igreja que temia e honrava o NOME de Deus.

Irmãos, irmãs, nas memórias do Senhor, está toda comunidade que teme e honra o seu NOME, que cumprem e guardam as regras do seu Filho amado. Deus não destruiu Israel, a conduta imutável do Senhor preservou a promessa, hoje manifestada a todos os que creem. Bendito seja o Senhor.

A promessa do Senhor:

"No dia em que eu agir", diz o Senhor dos Exércitos, "eles serão o meu tesouro pessoal. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece. Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem. “ Malaquias 3:2-18
A graça faz-nos diferente diante de Deus, somos comparados a um tesouro pessoal, tal como aquele declarado por Malaquias.


O fogo queimará a palha, os arrogantes serão exterminados. Apenas uma sombra das coisas reais que seriam ainda manifestadas. Um dia ainda se comprovará a diferença entre servir a Deus pela verdade, de servir a Deus pela aparência. A impiedade tem prazo de validade, a obediência tem validade eterna.

Uma promessa para Israel, o poderoso sol da justiça:


“Mas para vocês que reverenciam o meu nome, o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas. E vocês sairão e saltarão como bezerros soltos do curral. Depois esmagarão os ímpios, que serão como pó sob as solas dos seus pés no dia em que eu agir", diz o Senhor dos Exércitos.”

Deus sempre fará justiça a seus escolhidos!! Em Cristo existe liberdade.

“Porque, como a terra produz os seus renovos, e como o jardim faz brotar o que nele se semeia, assim o Senhor DEUS fará brotar a justiça e o louvor para todas as nações. " Isaías 61:11

Tudo o que pedia o Senhor, era a lembrança da lei do seu servo Moisés, que por tanto tempo lutou para que a justiça continuasse a brilhar. Os decretos e ordenanças concedido em Horebe, deveriam ser recordados como prova da obediência, hoje, as palavras de Cristo mantém a lucidez do espírito. Quem precisa do Senhor, deve ter confiança na sua providência.

O profeta Elias seria enviado:


“Vejam, eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor. Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais; do contrário eu virei e castigarei a terra com maldição. " Malaquias 4:1-6

Malaquias realmente fala de Elias, o Espírito que impulsionou o profeta, se manifestaria ainda mais uma vez...

Disse o anjo a Zacarias (Pai de João Batista) sobre a missão do seu filho:

E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto. “ Lucas 1:17

Em todas as épocas o Espírito do Senhor raiou a sua justiça. Que a voz do Espírito continue a trazer paz a sua alma irmão, irmã, temos grande regozijo em saber, que o Senhor não muda o que estabeleceu, sua palavra, o seu amor, permanecem sem alterações, enquanto o mal que existe sobre o mundo se alterou em todas as épocas, sucumbindo diante daquele que nem mesmo a morte pode reter. Glória a Deus!!

Deus esteja contigo.

Admin
Admin

Mensagens : 2943
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum