AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/ on line: Lamentações 1

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/ on line: Lamentações 1

Mensagem por Admin em Dom Dez 01, 2013 5:38 pm




Palavra de Deus - Lamentações 1



Amados, eterna paz em suas vidas. A destruição de Jerusalém é narrada em 2 Reis 24 e 25, por essa narrativa, compreendemos que o Senhor enviou a Judá a destruição.

A eterna justiça divina, o motivo da ação:

“Com certeza isto aconteceu a Judá conforme a ordem do Senhor, a fim de removê-los da sua presença, por causa de todos os pecados que Manassés cometeu, inclusive o derramamento de sangue inocente. Pois ele havia enchido Jerusalém de sangue inocente, e o Senhor não o quis perdoar. “ 2 Reis 24:3-4

Jeremias é o profeta do “momento”, seus olhos acompanharam a destruição, da sua boca procedeu a profecia do cativeiro babilônico. O Senhor desejou o arrependimento da nação, ele anunciou a necessidade do retorno para ele, mas Judá não deu ouvidos (Jr. 23:3). Profetas foram enviados “dia após dia” (Jr. 23:4), sem que houvesse alguém para prestar atenção, disseram os ungidos:

“...converta-se cada um do seu caminho mau e de suas más obras, e vocês permanecerão na terra que o Senhor deu a vocês e aos seus antepassados para sempre. Não sigam outros deuses para prestar-lhes culto e adorá-los; não provoquem a minha ira com ídolos feitos por vocês. E eu não trarei desgraça sobre vocês". "Mas vocês não me deram ouvidos e me provocaram à ira com os ídolos que vocês fizeram, trazendo desgraça sobre si mesmos", declara o Senhor. “ (Jr 25:5-7)

Diante do pecado nacional, entre tantas outras culpas (confiança em alianças com outras nações, falsos profetas, sacerdotes relaxados), o Senhor pronunciou sua sentença:

"Visto que vocês não ouviram as minhas palavras, convocarei todos os povos do norte e o meu servo Nabucodonosor, rei da Babilônia", declara o Senhor, "e os trarei para atacar esta terra, os seus habitantes e todas as nações ao redor. Eu os destruirei completamente e os farei um objeto de pavor e de zombaria, e uma ruína permanente. Darei fim às vozes de júbilo e de alegria, às vozes do noivo e da noiva, ao som do moinho e à luz das candeias. Toda esta terra se tornará uma ruína desolada, e essas nações estarão sujeitas ao rei da Babilônia durante setenta anos... “Jeremias 25:8-11

Bendito seja Deus! Certamente um plano de salvação seria enviado, a Babilônia cairia através de outro império (Isaías 44:28), até que isso acontecesse em Jerusalém se ouviu um grito de morte (Moody), agonizante a nação amada sem Deus, ficou como uma viúva, totalmente desonrada. Amados, vivemos numa época de profundas crises, grandes mestres da Escritura, tendem a comparar os dias atuais, cheios de crises, pessoais, nacionais, internacionais, aos dias do passado em que o julgamento de Deus permitiu a destruição. Homens afastados de Deus afundam em seus pecados, o arrependimento das suas ações, é o sentimento que pode novamente aproximá-los de Deus, essa sempre foi a mensagem dos profetas, a mensagem do evangelho, o amor em todas as épocas foi capaz de purificar o interior do ser humano, ainda que muitos jamais se dobraram ao mais poderoso dos sentimentos.

Deus tanto aceita os arrependidos, como julgará os não arrependidos, o exemplo de Judá é para nós um momento de eterna reflexão, depois que ela foi invadida um canto fúnebre, conhecido como lamentações de Jeremias foi escrito, onde o autor faz uma exata descrição da destruição de Jerusalém.

Como está deserta a cidade, antes tão cheia de gente! Como se parece com uma viúva, a que antes era grandiosa entre as nações! A que era a princesa das províncias agora tornou-se uma escrava. Chora amargamente à noite, as lágrimas rolam por seu rosto. De todos os seus amantes nenhum a consola. Todos os seus amigos a traíram; tornaram-se seus inimigos. “ Lamentações 1:1-2
Solitária e destruída a cidade que Jesus iria chorar sobre ela...

O exílio:

“ Em aflição e sob trabalhos forçados, Judá foi levado ao exílio. Vive entre as nações sem encontrar repouso. Todos os que a perseguiram a capturaram em meio ao seu desespero. Os caminhos para Sião pranteiam, porque ninguém comparece às suas festas fixas. Todas as suas portas estão desertas, seus sacerdotes gemem, suas moças se entristecem, e ela se encontra em angústia profunda. Seus adversários são os seus chefes; seus inimigos estão tranqüilos. O Senhor lhe trouxe tristeza por causa dos seus muitos pecados. Seus filhos foram levados ao exílio, prisioneiros dos adversários. “ Lamentações 1:3- 5
O estado deprimente da nação é relatado, Judá ficou longe do aconchego do Senhor, totalmente desprotegida, vulnerável as nações que a conquistaram. Não havia ninguém para comemorar as festas, habitações se tornaram desertas, a comoção tomou conta, a palavra consolo foi extinta do dicionário hebreu. Os adversários passaram a chefes, o domínio dos corações passou para os que não temiam a Deus, não havia a menor condição de reação. Os filhos de Judá foram da liberdade ao exílio, bendito seja Deus!

Amados, muitas coisas temos a aprender, somente pelo Espírito podemos compreender, os motivos da intervenção divina. Em Cristo somos livres, a ele Deus concedeu todo poder no céu e na terra, ele enviou seus discípulos a todas as nações, para batizar os crentes em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, sobretudo, ele pediu que ensinassem a guardar todas as coisas que dele ouviram, porque ele mesmo estaria com a igreja todos os dias, até a consumação dos séculos (Mateus 28:18-20). Se hoje tivermos a mesma atitude de Judá, certamente seremos condenado, isso foi dito a Nicodemus: “Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. "

"E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. “ João 3:18-19

Não era exatamente isso que Deus desejava de Judá, a crença total no Deus único e imortal? Nas lamentações o Espírito revela, que o esplendor fugiu da cidade, sem forças, os líderes fugiram. Deus trás a cidade as recordações de outros momentos, quando o povo também caiu nas mãos dos inimigos, os pecados graves a tornaram impura, se havia honra, não mais existe, está nua diante de todos, sem que Deus estenda a mão para revesti-la. O lamentador comovido diz que a sua queda surpreendeu a muitos, consolo? Ninguém compareceu. Ela nunca esperou que tudo viesse a ter um fim, desdenhou de Deus, bendito para sempre!!

Irmãos, irmãs, que infortúnio, que tribulação, que sofrimento. Os tesouros foram levados anuncia o Espírito, uma voz se ecoa até os céus: "Olha, Senhor, para a minha aflição, pois o inimigo triunfou. "  Lamentações 1:9

Nações pagãs entraram no santuário, o povo faminto lamentou, trocando os tesouros por comida, dizendo:  "Olha, Senhor, e considera, pois tenho sido desprezada. " Lamentações 1:11

O alento de Deus não chegaria antes do término dos setenta anos, esse foi o prazo do castigo. Jerusalém olha para todos que passam, “olhem ao redor”, em todos os cantos a ira do Senhor é visível, exteriormente e interiormente (na alma dos habitantes):

“ Do alto ele fez cair fogo sobre os meus ossos. Armou uma rede para os meus pés e me derrubou de costas. Deixou-me desolada, desfalecida o dia todo. Os meus pecados foram amarrados num jugo; suas mãos os ataram todos juntos, e os colocaram em meu pescoço; o Senhor abateu a minha força. Ele me entregou àqueles que não consigo vencer. “ Lamentações 1:13-14
O autor como a alma da cidade, chora sobre os resquícios, da que outrora foi a amada de Davi. Foi o Senhor que retirou a força, sem ela, foi facilmente vencida. O pecado como causa principal, são mencionados a todo instante, Jerusalém está prostrada diante do mundo, por setenta anos não se ergueria, até que o Senhor estendesse a mão.

Amados, a força da igreja vem de Deus, do Espírito Santo derramado, como a morte não pode reter ao Filho, a força se tornou eterna, para todo aquele que invocar de coração o santo Nome de Deus. Jesus veio para arrancar os pecados, retirar-nos do cativeiro do mundo, fazer-nos mais do que vencedores. Não existe mais um império que possa impedir a graça, nem imperadores, reis, generais, todas as coisas estão debaixo dos pés de Cristo. Toda a purificação realizada por Deus, anunciada pelos profetas, serviu para levar a Cristo.

Judá chorou, seus olhos foram inundados pelas lágrimas, seus jovens foram destruídos, o inimigo prevaleceu.

“Sião estende as mãos suplicantes mas não há quem a console. O Senhor decretou que os vizinhos de Jacó se tornem seus adversários; Jerusalém tornou-se coisa imunda entre eles. "O Senhor é justo, mas eu me rebelei contra a sua ordem. Ouçam, todos os povos; olhem para o meu sofrimento. Meus jovens e minhas moças foram para o exílio. “ Lamentações 1:17-18
Irmãos, irmãos, imagine estender a mão, sem que Deus toque em nós. Assim aconteceu com Judá, com a cidade de Jerusalém, seus vizinhos se tornaram seus inimigos, paz não haveria por muitos anos. Jerusalém confessa que o Senhor é justo, foi ela que se rebelou, quem dera não tivesse feito assim, considerando permanecer nos decretos divinos.

Um futuro já se manifestava, criado antes mesmo da fundação do mundo, Israel e gentios seriam abençoados com as bençãos celestiais em Cristo (Efésios 1:3). A desolação em Cristo deixou de ser eterna, a servidão não superou a liberdade. Sem Deus, até mesmo os aliados traíram Judá, sacerdotes e líderes pereceram, enquanto perambulavam pelas ruas da cidade procurando comida. Culto ao Senhor não havia, festas não havia, nem alegria, paz, esperança, misericórdia, fruto do Espírito, sem o Senhor nada pode haver.

Na esperança fomos salvos disse o apóstolo Paulo, da ira futura somos livres pelo sacrifício do Filho de Deus, bem diferente estava o clamor de Jerusalém:

Veja, Senhor, como estou angustiada! Estou atormentada no íntimo, e no meu coração me perturbo pois tenho sido muito rebelde. Lá fora, a espada a todos consome; dentro impera a morte. Os meus lamentos têm sido ouvidos, mas não há ninguém que me console. Todos os meus inimigos sabem da minha agonia; eles se alegram com o que fizeste. Quem dera trouxesses o dia que anunciaste para que eles ficassem como eu. Que toda a maldade deles seja conhecida diante de ti; faze com eles o que fizeste comigo por causa de todos os meus pecados. Os meus gemidos são muitos e o meu coração desfalece. " Lamentações 1:20-22
Jerusalém reconhece a rebeldia, nem assim a angústia seria aliviada, é no íntimo que a culpa corrói. Espada, morte, lamentos, alegria dos inimigos. Os dias melhores são lembrados, os dias em que a situação foi contrária, os inimigos amargavam a derrota, eram humilhados perante o povo de Deus. Contra as nações pagãs é que estas coisas deveriam estar acontecendo, é exatamente esse o pedido, embora o pecado não cesse de martelar a consciência.

O clamor da vingança...

Os gemidos de dor...

O coração desfalecido...

Por todo os cinco capítulos o poema revela o sofrimentos, diante da ausência de Deus. Amados, muito pior do que nossas provas, é saber que Deus está ausente da nossa vida. A vida da igreja é Cristo, ele é o comandante supremo, por ordem divina, através dele, estamos preenchidos com o amor de Deus.

Deus habita em nós, o mesmo que deixou de habitar em Judá, conforme profecias de Isaías e Jeremias, que voltaria na plenitude dos tempos, a estabelecer um processo de reforma, com objetivo de conservar as almas dos justos. Pelo poder da palavra somos sustentados, ainda que o pecado abundou, transbordou a graça (Romanos 5:20-21).

Assim como o pecado reinou na morte, a graça reinou pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.

Notadamente nada foi capaz de deter os propósitos divinos, tudo isso para provar aos herdeiros, que nada pode nos separar do seu amor.

Que as lamentações possam fazer de você alguém mais confiante, irmão, irmã, compreendendo que produzir um novo homem, foi um dos mais belos projetos da criação, concretizado através da pessoa de Cristo. Se as trevas durante tantos séculos não reconheceram a supremacia da glória, com a morte, ressurreição e ascensão de Jesus aos céus, um reino inabalável e incorruptível foi estabelecido, onde haverá uma cidade santa, esplendorosa, a nova Jerusalém (Apocalipse 21:2).

Isso é consolo verdadeiro. É misericórdia que não acaba. Você não precisa de novas promessas, a Escritura garante o seu sucesso.

"Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança." Romanos 15:4

Glória!

Deus seja louvado!!

Admin
Admin

Mensagens : 2943
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum