AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






A razão de Cristo morrer, o poder da ressurreição

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A razão de Cristo morrer, o poder da ressurreição

Mensagem por Admin em Sab Dez 07, 2013 6:08 pm



“Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos. Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. “ Filipenses 3:10-12

A ressurreição não nos concede palavras, que possam defini-la, não quanto ao significado em si, mas quanto a importância. A alguns da igreja de Corinto, Paulo faz uma pergunta, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como alguns podiam afirmar que não existe ressurreição dos mortos, se não há ressurreição disse o apóstolo (1 Cor 1.12-20), Cristo também não ressuscitou, e se isso de fato não ocorreu, toda a pregação dos apóstolos era vã, também a fé dos que creram era vã.

O assunto era tão importante, que se não esclarecido, faria dos discípulos do Senhor, falsas testemunhas de Deus, pois testificavam que Deus havia ressuscitado o Cristo, ao qual parecia não ter ressuscitado, de acordo o entendimento de alguns, em acharem que os mortos não poderiam ressuscitar. Uma coisa garante a outra, se mortos não voltam a vida, Cristo não poderia voltar, logo, toda a fé seria vã, pior, os pecados permaneceriam, os que dormiram em Cristo estariam perdidos. Se esperamos em Cristo somente nesta vida disse Paulo,  entre todos os homens, somos os mais perversos. Por fé esperamos algo vindouro, em esperança fomos salvos (Romanos 8:24), concordando que se Cristo ressuscitou, ele é o primeiro dentre os que dormem, morte e ressurreição vieram por dois homens, com a diferença de que em Adão todos morreram, em Cristo todos vivem, sendo a ordem, Cristo, depois os que são dele no seu retorno (1 Cor. 15-20-23)  


Já aos romanos o Espírito garante que nenhum de nós vive para si, tampouco morre (Rom. 14.7-10), se vivemos é para o Senhor, se morremos é para o Senhor, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor.

A grande razão de ser assim:

“Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos. “ Romanos 14:7-10


A importância de crer na ressurreição:

“Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e juntamente com ele, aqueles que nele dormiram. “ 1 Tessalonicenses 4:14

Tanto o nascimento, a morte, a ressurreição, foram propósitos do Senhor, para que ele mesmo ressuscitasse o Filho dentre os mortos, “...rompendo os laços da morte, porque era impossível que a morte o retivesse” (Atos 2:23-24). O Espírito de Deus ressuscitou Jesus dentre os mortos (Romanos 8:11), o mesmo Espírito dará vida a nossos corpos, nós que esperamos ansiosamente o Salvador, aquele que foi capacitado pelo poder de Deus, que colocou todas as coisas debaixo do seu domínio, que transformará nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso (Filipenses 3:20-21).

“Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo, e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte.” Hebreus 2:14-15

Houve quem afirmasse que a ressurreição dos mortos já ocorreu (2 Tim. 2.16-18), com isso se desviaram da verdade, ainda, perverteram a fé de muitos. O que importa é que Deus não abandonou o Filho no sepulcro, seu corpo foi preservado para glória (Atos 2:31). O apóstolo Pedro glorificou o Deus e Pai do Senhor Jesus Cristo, que pela misericórdia, promoveu a regeneração da humanidade para uma esperança viva, “...por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1 Pedro 1:3). Em tempo oportuno o mortal será absorvido pela vida, o Espírito é a garantia dessa realização (1 Cor. 5.4-5).


“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” 2 Coríntios 5:17

Por ser uma nova criatura, Paulo desejava conhecer a Cristo, provar do poder da ressurreição, e a participação dos seus sofrimentos, tornando-se como ele em sua morte, um estado perfeito, para ter condições de alcançar a ressurreição dos mortos. Somente conduzido pelo mesmo poder, capacitado por Deus ele poderia conseguir, não é uma atitude aparente, é realmente se colocar como um perfeito imitador de Cristo. Uma união íntima entre Cristo e o homem, é o que todos os crentes desejam, se não deseja, não podem bater no peito dizendo que conhecem o que nunca sentiram, confiar na carne é um regresso, para os que passaram a ter confiança em Cristo, ele, Paulo, revelou que ele mesmo poderia confiar na carne, perdeu todas as coisas relacionadas a ela, para alcançar a suprema grandeza do conhecimento de Cristo. Ele orava para que Deus concedesse a igreja um espírito de sabedoria e revelação (Ef 1:17), orava para que através das gloriosas riquezas, Deus fortalecesse no Espírito o íntimo de cada ser, para que pela fé Cristo habitasse os corações, orava para que todos fossem alicerçados em amor, obtendo assim,  a compreensão da largura, comprimento, altura, profundidade do amor de Cristo, que excede todo conhecimento, que enche e completa a todos com o poder de Deus (Ef 3.16-19). A cada um pelo dom de Cristo, a graça foi concedida numa medida, quando o Filho de Deus ressurrecto subiu ao alto, levando o cativeiro, distribuindo dons aos homens (Ef. 4.7-13), o que subiu ao lugares mais baixo, foi o mesmo que subiu aos céus, enchendo todas as coisas.

Medidas de apóstolo foram concedidas aos homens, de profeta, evangelista, pastores, mestres, caminhos excelentes foram mostrados. Os dons sempre aperfeiçoaram os homens, vide os antepassados da fé, todo esse projeto divino, visava o aperfeiçoamento dos santos para o trabalho do ministério, para edificação do corpo de Cristo, para que todos  pudessem chegar à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, “...ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Efésios 4:7-13).

Os propósito foram estabelecidos antes da fundação do mundo, um dia todas as coisas seriam congregadas em Cristo, celestiais e terrenas, na plenitude dos tempos. Sem Cristo não seríamos escolhidos, de acordo a sua vontade é que nos aproximamos do trono da graça. Esperamos em Cristo, porque assim o Senhor ordenou, tudo aconteceu quando ouvindo e crendo na palavra da verdade, alcançamos a salvação pelo evangelho, sendo selados com o Espírito Santo da promessa, como sinal de que pertencemos a Deus. A palavra de Deus, o poder de sustentar todas as coisas, comprovou que Deus estava em Cristo, reconciliando o mundo, esse poder exercido no Filho, ressuscitou dentre os mortos, colocando-o a sua direita, nas regiões celestiais, “... muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir". Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou como cabeça de todas as coisas para a igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância” (Ef. 1.20-23).

Conhecer a Cristo...

O grande amor do Pai, deu direito de sermos chamados filhos, o mundo não nos conhece disse o apóstolo João, porque não conheceu a Deus. Ninguém que permanece no pecado conhece a Deus.

“Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós... “ 1 João 3:16

Essa íntima comunhão desejou Paulo, não que já tivesse obtido a ressurreição, ou que houvesse sido aperfeiçoado, sua perseverança estava em alcançar, sabendo que Jesus o havia alcançado primeiro. Por ter conhecido a Cristo, Paulo abandonou o eu:

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. “ Gálatas 2:20

Conclusão celeste:

Fomos sepultados com Cristo no batismo, simbolizando a morte do velho, sendo ressuscitado pela fé no poder de Deus, “... que o ressuscitou dentre os mortos“ (Colossenses 2:12).

Poder da ressurreição!!

“Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos; Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele. “ Romanos 6:6-9

O Espírito veio para sempre nos lembrar da razão de todas as coisas...

Admin
Admin

Mensagens : 3222
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum