AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Que Deus? ( Nele vivemos, nos movemos e existimos)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Que Deus? ( Nele vivemos, nos movemos e existimos)

Mensagem por Admin em Sab Dez 14, 2013 3:11 pm

Quando o apóstolo Paulo passou pela cidade de Atenas, a capital intelectual e cultural de seus dias, percebeu que os atenienses, além de intelectuais, eram extremamente religiosos, a ponto de terem um altar ao “deus desconhecido” na cidade. Aproveitando o fato, Paulo introduz seu famoso discurso no Areópago, na presença dos filósofos epicureus e estóicos e faz uma declaração acerca de Deus que pode ser considerada como uma das “definições” mais completas do Deus do Cristianismo encontradas no Novo Testamento:

“Deus, que fez o mundo e tudo o que nele existe, é o Senhor do céu e da terra e não mora em templos feitos por seres humanos. E também não precisa que façam nada por ele, pois é ele mesmo quem dá a todos vida, respiração e tudo mais. De um só homem ele criou todas as raças humanas para viverem na terra. Antes de criar os povos, Deus marcou para eles os lugares onde iriam morar e quanto tempo ficariam lá. Ele fez isso para que todos pudessem procurá-lo e talvez encontrá-lo, embora ele não esteja longe de cada um de nós. Porque, como alguém disse: ‘Nele vivemos, nos movemos e existimos.’ E alguns dos poetas de vocês disseram: ‘Nós também somos filhos dele.’ E, já que somos filhos dele, não devemos pensar que Deus é parecido com um ídolo de ouro, de prata ou de pedra, feito pela arte e habilidade das pessoas. No passado Deus não levou em conta essa ignorância. Mas agora ele manda que todas as pessoas, em todos os lugares, se arrependam dos seus pecados. Pois ele marcou o dia em que vai julgar o mundo com justiça, por meio de um homem que escolheu. E deu prova disso a todos quando ressuscitou esse homem” (Atos 17.24-31).

Deus é mencionado explicitamente no preâmbulo de nossa Constituição de 1988, mesmo sendo laica:
Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte, para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil.
Embora Deus não seja mencionado explicitamente nem no Regimento e nem no Estatuto do Mackenzie temos ali referências indiretas a ele. Nossos documentos mencionam as Escrituras Sagradas, que é o livro de Deus, cita a “fé cristã reformada” cujo principal lema é Soli Deo Gloria (glória somente a Deus) e diz que o Mackenzie se dedica, além das ciências humanas, às ciências divina. Quem é este Deus, então?

Temos três fontes de conhecimento acerca de Deus. A primeira é a natureza, considerada por muitos como um livro no qual Deus se revelou universalmente e onde podemos aprender sobre ele. Segunda, a consciência do homem, pois ela reflete a imagem e a semelhança de Deus, a saber, moralidade, liberdade, responsabilidade, autoanálise, escolha – coisas que só o homo sapiens tem em toda a criação. A terceira fonte de conhecimento de Deus são as Escrituras Sagradas, o livro da revelação especial de Deus. Por estas três fontes – das quais a última é a mais importante – temos um quadro geral acerca de Deus. Ele é o único Deus que existe. É espírito eterno, infinito e imutável em seu ser. É autossuficiente, insondável, onipresente, onisciente, onipotente, sábio, santo, justo, misericordioso, bondoso e verdadeiro. Há três pessoas na Divindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; estas três pessoas são um só Deus verdadeiro e eterno, da mesma substância, iguais em poder e glória, embora distintas pelas suas propriedades pessoais.

Foi este Deus quem criou o mundo e tudo que existe. Ele fez isto para sua própria glória. E nos criou à sua imagem e semelhança e com livre arbítrio. Ele se tornou em homem (Jesus de Nazaré) e se deixou crucificar num ato vicário e sacrificial, pagando a culpa da sua própria criatura. Ressuscitou dos mortos e voltará para o dia do juízo final. Em síntese, este é o Deus do Cristianismo. Não estamos falando de um “deus desconhecido”, mas de um que está bem perto de nós. Como disse Paulo no seu discurso, nele existimos e nele nos movemos.

Por que falar estas coisas na Academia? O que Deus tem a ver com o ambiente de estudo, pesquisa e extensão? É que em que pese toda pluralidade, variedade e multiplicidade de idéias e entendimentos que percorrem os corredores da Academia, ao final persistem as mesmas questões: qual a origem do mundo, da vida, do ser humano, o que é a história, como ela funciona, para onde tudo isto está caminhando, existe destino, sorte, azar, ou tudo acontece por acaso, temos liberdade ou somos determinados...

As ideologias como o humanismo, o naturalismo, o evolucionismo, as filosofias modernas, - todas elas dão de alguma forma uma explicação para a realidade. Para nós, a existência e a atuação de um Deus assim é a explicação mais fundamental para todas estas perguntas e indagações.


Rev. Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes
Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Admin
Admin

Mensagens : 3224
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum