AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






A tradução das escrituras sagradas é um desafio tão grande que merecia uma ajuda divina. O que fazer quando não se pode contar com ela?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A tradução das escrituras sagradas é um desafio tão grande que merecia uma ajuda divina. O que fazer quando não se pode contar com ela?

Mensagem por Admin em Qui Jan 23, 2014 6:20 pm



Traduzir é uma arte improvável, costumam dizer os tradutores. Afinal é muito difícil haver uma correspondência absoluta entre o que o escritor quis dizer e o novo texto. Se já é difícil assim nas línguas modernas, imagine com os livros sagrados, como a Bíblia e o Alcorão, escritos há dezenas de séculos em dialetos que não são mais usados hoje em dia.

Livro mais traduzido no mundo, com versões integrais em mais de 300 línguas, a Bíblia foi escrita em 3 idiomas. O Antigo Testamento, incluindo a Torá, tem originais em hebraico e aramaico, provavelmente a língua falada por Jesus. O Novo Testamento é quase todo escrito num grego arcaico que precisa ser traduzido mesmo para os gregos de hoje. Já o Alcorão é todo em árabe, só que em 4 dialetos diferentes, exatamente como foi revelado a Maomé.

Outro problema que os tradutores enfrentam é a escolha dos textos em que se basear. Os 66 livros que formam a Bíblia, por exemplo, não têm mais originais disponíveis, e os tradutores precisam se basear em cópias – às vezes em cópias de cópias. Para evitar erros, o tradutor compara várias cópias antigas e usa livros que discutem o significado das palavras bíblicas. “É preciso usar vasta literatura de interpretação das palavras”, afirma Vilson Scholz, professor de teologia e consultor de tradução da Sociedade Bíblica do Brasil. Além disso, o tradutor precisa estar atento a descobertas arqueológicas que trazem à luz novos significados de palavras bíblicas. “Há 50 ou 100 anos, a lista de palavras que só existiam na Bíblia era grande. A arqueologia fez essa lista diminuir muito.”

Depois, é preciso quebrar a cabeça para entender o significado das palavras no contexto. “O Novo Testamento tem cerca de 5 400 palavras. E cada uma tem em média 4 ou 5 significados”, diz Scholz. Às vezes a simples falta de uma vírgula – que não existia nas línguas dos originais – complica tudo. Como não dá para tirar a dúvida com o autor, o tradutor precisa intuir o significado das palavras. O que lhe dá margem para influenciar o texto sagrado. A palavra malakoi, por exemplo, já virou tanto “masturbador” quanto “homossexual”.

Afinal, é preciso escolher um tipo de português para o texto final. “A tradução depende também de quem vai ler”, diz o lingüista e tradutor Nestor Dockhorn, que prepara traduções do Evangelho de Lucas em 3 variantes populares – urbana, urbana da periferia e rural. Perfeccionismo? Nem tanto. “Na hora de traduzir a palavra sagrada, todo cuidado é pouco”, diz Dockhorn.

Superinteressante

Admin
Admin

Mensagens : 3141
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum