AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






O Silêncio do Verbo! | C. H. Spurgeon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Silêncio do Verbo! | C. H. Spurgeon

Mensagem por Admin em Sex Jun 06, 2014 6:35 pm




Postado por Josemar Bessa


Jesus nunca foi lento com as palavras quando pôde abençoar os filhos dos homens, mas não dizia uma única palavra em favor de si mesmo. “Jamais alguém falou como este homem” (João 7.46), e nunca um homem silenciou como Ele: “Jesus não respondeu nem uma palavra.” Mateus 27.14


Foi aquele silêncio singular o indicador de seu perfeito auto-sacrifício? Mostrou isso que Ele não diria uma palavra para sustar a matança de sua pessoa sagrada, que havia dedicado como uma oferenda por nós?


Rendeu-se Ele tão inteiramente que não interferiu em seu próprio favor, ainda que em mínima parcela, mas foi determinado ao deixar-se matar como vítima passiva e silenciosa? Foi aquele silêncio um tipo de abandono do pecado? Nada pode ser dito em dissimulação ou escusa da culpa humana; portanto, Ele que suportou todo o seu peso permaneceu mudo diante de seu julgamento. Não é o silêncio paciente a melhor resposta a um mundo contraditório?


A calma resignação responde a algumas perguntas infinitamente mais conclusivas do que a eloqüência mais imponente. Os melhores apologistas do cristianismo nos seus tempos iniciais foram seus mártires. A bigorna quebra uma multidão de martelos por suportar passivamente seus golpes. Não tinha o silente Cordeiro de Deus propiciado a nós um grande exemplo de sabedoria? Onde cada palavra era ocasião para uma nova blasfêmia, era a linha do dever não suprir mais combustível para a chama do pecado. O ambíguo e o falso, o indigno e o desprezível, logo vão arruinar-se, frustrar-se, e, portanto, a verdade pode permitir-se ficar calada e achar que o silêncio é sua sabedoria.


Evidentemente, nosso Senhor, por seu silêncio, forneceu um notável cumprimento da profecia. Uma longa defesa de si mesmo teria sido contrária à predição de Isaías. "Como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca" (Isaías 53.7). Por seu silêncio, Ele provou conclusivamente ser o verdadeiro Cordeiro de Deus. Por isso, saudamo-lo nesta manhã. Sê conosco, Jesus, e, no silêncio de nosso coração, deixa-nos ouvir a voz do teu amor.

Admin
Admin

Mensagens : 3191
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum