AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/on line: João 7 (o dono da festa é o Salvador)

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/on line: João 7 (o dono da festa é o Salvador)

Mensagem por Admin em Dom Jun 22, 2014 4:36 pm




Palavra - João 7:1-18


Depois disso Jesus percorreu a Galiléia, mantendo-se deliberadamente longe da Judéia, porque ali os judeus procuravam tirar-lhe a vida. Mas, ao se aproximar a festa judaica dos tabernáculos, os irmãos de Jesus lhe disseram: "Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que os seus discípulos possam ver as obras que você faz. Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo". Pois nem os seus irmãos criam nele. Então Jesus lhes disse: "Para mim ainda não chegou o tempo certo; para vocês qualquer tempo é certo. O mundo não pode odiá-los, mas a mim odeia porque dou testemunho de que o que ele faz é mau. Vão vocês à festa; eu ainda não subirei a esta festa, porque para mim ainda não chegou o tempo apropriado". Tendo dito isso, permaneceu na Galiléia. Contudo, depois que os seus irmãos subiram para a festa, ele também subiu, não abertamente, mas em segredo. Na festa os judeus o estavam esperando e perguntavam: "Onde está aquele homem? " Entre a multidão havia muitos boatos a respeito dele. Alguns diziam: "É um bom homem". Outros respondiam: "Não, ele está enganando o povo". Mas ninguém falava dele em público, por medo dos judeus. Quando a festa estava na metade, Jesus subiu ao templo e começou a ensinar. Os judeus ficaram admirados e perguntaram: "Como foi que este homem adquiriu tanta instrução, sem ter estudado? " Jesus respondeu: "O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo. Aquele que fala por si mesmo busca a sua própria glória, mas aquele que busca a glória de quem o enviou, este é verdadeiro; não há nada de falso a seu respeito."


Graça e paz irmãos e irmãs. A maravilhosa paz do Criador, seu Deus. Essa passagem fala de um conflito em Jerusalém entre Jesus e os escribas e fariseus. Escribas eram estudantes, interpretadores, e mestres da lei de Moisés, já os fariseus eram um partido que observava zelosa e rigorosamente a lei escrita e oral. Jesus manteve-se longe da Judéia porque ali se encontrava a maior parte dos fariseus, que queriam tirar a sua vida antes do tempo. Se pensamos que a nossa vida corre perigo, os dias do Filho de Deus sobre a terra, eram todos recheados de ameaças de morte, mesmo assim com cuidado e diligência ele procurava cumprir sua missão, comportando-se com toda submissão diante de Deus.

A festa dos tabernáculos (Levítico 23:33-34), o maior festival do ano judaico, que atraía judeus de todas as partes, com duração de sete dias, simbolizando a lembrança da peregrinação pelo deserto e o sustento pelo Senhor. O profeta Zacarias descreveu o dia que as nações subiriam a Jerusalém (Zacarias 14:16-21), para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, celebrando a festa dos tabernáculos.

O Senhor faz de nós o seu tabernáculo, aqui (dentro do nosso coração) ele é o dono da festa. Festejemos o Senhor em todo o tempo que nos deu vida. Provas? Dores? Ameaças? Tentações? Comemoremos a bondade Deus, todas as adversidades, por mais graves que sejam não desencaminham nosso destino, sim, nos entristecem, ao extremo de provocar um enorme desânimo, uma inquietadora indignação, até que expressemos a famosa pergunta: Por quê?

Jesus desejou que se possível o seu cálice afastado (Mateus 26:39), contudo, julgou sabiamente que o mais importante, não era o seu querer, mas o querer do Pai, que sempre estava baseado na justiça que leva a vitória. O cálice nunca foi fácil, está escrito que “dificilmente haverá alguém que morra por um justo” (Romanos 5:6-8), de fato, se alguém se propuser a morrer será somente se for por um justo, porque haveria de morrer por um ímpio.

“De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios.” Romanos 5:6

Até que concluísse sua missão, Jesus enfrentou até mesmo a incredulidade de seus irmãos — algo semelhante aconteceu com José — eles incentivaram o Filho de Deus para que fosse a Judéia, diziam eles que Jesus não deveria agir em segredo, mas em público, “mostre-se ao mundo” esse era o lema de seus irmãos, acima até mesmo das determinações do Senhor.

“ Pois nem os seus irmãos criam nele “ João 7:5

Jesus ciente do tempo de Deus, respondeu prontamente, através da excelência da sua santidade, que ainda não chegará o tempo certo, para o homem natural, “qualquer tempo é certo” (João 7:6). Não era aos irmãos que o mundo odiava, os escribas e fariseus não queriam matá-los, logo, seus irmãos sequer demonstravam qualquer preocupação.
O mundo odiava Jesus pelo testemunho que ele dava contra ele, trazendo a luz todas as suas impiedades. Como eles não estavam nem aí para a conversa de Jesus, ele orientou que eles fossem a festa, para ele ainda não era o tempo apropriado. Bendito seja Deus!

Amados, irmãos e irmãs dedicados a servir a Deus, sempre perguntamos ao Senhor qual é o tempo apropriado da sua manifestação em nossa vida, será hoje? Eu preciso hoje? Qual é o meu dever? O que deve fazer? Como devo me comportar? Qual a melhor solução? O tempo, sempre existe um tempo, “para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1).

Jesus permaneceu na Galiléia até que seus irmãos subissem, contudo, ele subiu, não abertamente, não havia chegado a ora de denunciar o pecado do mundo, ainda por um tempo, até que chegasse a sua hora, ele permaneceu oculto, não por medo, mas em submissão e comunhão. Os milagres foram presenciados pelo mundo, mas para mover a incredulidade do mundo só mesmo com a sua morte.

"Onde está aquele homem? " João 7:11

Enquanto nós perguntamos, “onde está Senhor Jesus”, para obter alívio diante de uma determinada situação, os judeus tinham planos horrendos para o Filho de Deus. Oh Senhor de Santidade! Coloque-nos embranquecidos diante de ti, para que possamos compreender as coisas pelas quais seu Filho passou, e não apenas pelo falar, que possamos também sentir, dando o devido valor em cada passo dado pelo mestre, imitando-o com toda honra.

Diletos de Cristo, alguns da multidão mesmo com os boatos, a zombaria, a blasfêmia, diziam “é um bom homem” (João 7:12), enquanto os maus corações replicavam “Não, ele está enganando o povo" (João 7:12).

O Senhor é bom, definitivamente ele é bom, quem perverterá essa honra, se para ele foi concedida a soberania sobre o mundo. Não era ainda o tempo, mas o tempo chegaria, o homem bom, se tornaria Senhor dos vivos e dos mortos (Romanos 14:9). A multidão temia os judeus, nós devemos temer a Deus, ainda que em muitos países, cristãos estão sendo impedidos de falar de Deus em público, no brasil nós temos liberdade, servindo a Deus sem nenhum temor. Na metade da festa, o “dono” chegou, seu objetivo não era festejar, mas usar o tempo para ensinar ( 2 Timóteo 4:2), isso causou admiração nos judeus, como um homem sem instrução poderia ter um discurso tão poderoso.

A resposta de Jesus:

“O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. “ (João 7:16)

Esse mesmo poder Deus derramaria sobre os apóstolos (Atos 4:13), coisas tais que aprendemos na comunhão com o Senhor, não havendo nenhum desprezo por quem busca conhecimento. O ensino, o material, as matérias, vieram do céu, tudo o que aprendemos de Deus, todas as informações estavam no cérebro de Cristo, cujos profetas, apóstolos, homens de Deus, também receberam toda a perfeição, o desejo deles, eram que os corações fossem consolados, unidos em amor, “enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus e Pai, e de Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” (Colossenses 2:2-3).

Jesus não fora treinado nas escolas de rabinos.

Se os escribas e fariseus se permitissem serem ensinados, descobririam a fonte do ensino de Cristo, se falava de Deus ou dele mesmo. A festa com certeza deve ter ficado mais interessante, João descreve que no último dia e mais importante da festa (João 7:37-38), Jesus disse em voz alta:

"Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva"

Nunca buscou glória de si mesmo, buscava a glória do Pai, por isso tudo sempre foi verdadeiro, tudo o que vem da glória não tem mistura com a falsidade. Se no deserto os israelitas tiveram sede, sempre supridos por Deus, porém, com a sede voltando a qualquer momento, Jesus veio para se tornar uma fonte de água duradoura. O encerramento da festa foi maravilhoso, perante os judeus estava todo o poderoso conteúdo da doutrina divina, mesmo que eles fossem incrédulos quanto a isso, claro, não que ali não houvesse quem não estivesse se deliciando com as palavras de Deus.

Um comentarista bíblico diz, que somos condutores de rios de água viva, bebemos e saciamos a sede das almas que se encontram no deserto do mundo. Muito tempo depois que Moisés instituiu a Festa dos Tabernáculos, ele mesmo aguardou esperançoso o tempo da riqueza que viria por Cristo, a celebridade vinda do céu.

Amados, tenham uma ótima semana. Com os ensinos de Cristo, tiramos as melhores notas, nada que se relacione a carne, tudo é para o aperfeiçoamento do espírito, que um dia num corpo glorioso habitará com Deus.

Cristo já assinou nossa transferência para o céu.

Festejemos a vitória de Cristo.

Que é a nossa vitória!

Glória a Ele! Glória a Deus!

Admin
Admin

Mensagens : 2943
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum