AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/on line: Miquéias 4 ("O Senhor te resgatou das mãos do inimigo...")

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/on line: Miquéias 4 ("O Senhor te resgatou das mãos do inimigo...")

Mensagem por Admin em Dom Ago 31, 2014 5:14 pm




Palavra - Miquéias 4:1-13


Nos últimos dias acontecerá que o monte do templo do Senhor será estabelecido como o principal entre os montes; e se elevará acima das colinas, e os povos a ele acorrerão. Muitas nações virão, dizendo: "Venham, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó. Ele nos ensinará os seus caminhos, para que andemos nas suas veredas". Pois a lei virá de Sião, a palavra do Senhor, de Jerusalém. Ele julgará entre muitos povos e resolverá contendas entre nações poderosas e distantes. Das suas espadas, farão arados, e das suas lanças, foices. Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra. Todo homem poderá sentar-se debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e ninguém os incomodará, pois assim falou o Senhor dos Exércitos. Pois todas as nações andam, cada uma em nome dos seus deuses, mas nós andaremos no nome do Senhor, o nosso Deus, para todo o sempre. "Naquele dia", declara o Senhor, "ajuntarei os que tropeçam e reunirei os dispersos, aqueles a quem afligi. Farei dos que tropeçam um remanescente, e dos dispersos, uma nação forte. O Senhor reinará sobre eles no monte Sião, daquele dia em diante e para sempre. Quanto a você, ó torre do rebanho, ó fortaleza da cidade de Sião, o antigo domínio lhe será restaurado; a realeza virá para a cidade de Jerusalém. " Agora, por que gritar tão alto? Você não tem rei? Seu conselheiro morreu, para que a dor seja tão forte como a de uma mulher em trabalho de parto? Contorça-se em agonia, ó cidade de Sião, como a mulher em trabalho de parto, porque agora terá que deixar os seus muros para habitar em campo aberto. Você irá para a Babilônia, e lá você será libertada. Lá o Senhor a resgatará da mão dos seus inimigos. Mas agora muitas nações estão reunidas contra você. Elas dizem: "Que Sião seja profanada, e que isso aconteça diante dos nossos olhos! " Mas elas não conhecem os pensamentos do Senhor; não compreendem o plano daquele que as ajunta como feixes para a eira."Levante-se e debulhe, ó cidade de Sião, pois eu darei a você chifres de ferro; e cascos de bronze para despedaçar muitas nações". Você consagrará ao Senhor os ganhos ilícitos delas, e a riqueza delas ao Soberano de toda a terra. "

Algum momento entre 687 e 750 A.C.

Uma defesa contra a corrupção do reino dividido.

Somente a vinda de um sangue diferente, poderia contemplar a humanidade, com a expectativa de dias melhores. Os dias na época de Miquéias estavam ruins, deploráveis na execução da justiça, governantes, ricos, sacerdotes, opressores dos pobres, dos camponeses, judiavam da nação que deveria estar descansando no Senhor. O profeta revela que a nação estava nas profundezas do abismo, caída, sem qualquer reconsideração, para transformar a história, os últimos dias deveriam ser melhores que os dias atuais, mas como? Como reverter o triste quadro de impunidade, de um povo que esqueceu do seu Deus?

A profecia da esperança: “Nos últimos dias...”

Nos últimos dias Cristo reescreveria a história, no lugar mais alto, estaria o templo do Senhor, acima da arrogância humana. Deus chamaria também aqueles que nunca foram povo dele, como escreveria o apóstolo Pedro:

“Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.” 1 Pedro 2:10

Acima das colinas, que cenário maravilhoso, os povos viriam ao Senhor apressadamente, desejando estar com Deus, diferente do pensamento naqueles dias, que estavam longe de terem o Senhor como a razão das suas vidas.

As nações teriam prazer de estar com Deus, aquelas que em outros tempos, nunca conheceram a sua bondade, subiriam ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó, sustentador da palavra e da promessa. Com as mentes renovadas pelo Espírito Santo, diriam alegres a si mesmos “Deus nos ensinará seus caminhos”, “nós vamos andar nas suas veredas”, essa geração provaria dos benefícios da misericórdia, de andar em obediência, de cumprir a doutrina do Senhor Jesus Cristo, aquela diretamente de Sião, a palavra do Senhor, diretamente de Jerusalém.

Ah irmãos, irmãs, diletos em Cristo, Deus estava prevendo últimos dias de glória verdadeira, em que Deus executaria seus julgamentos, sobre as nações poderosas e as mais distantes. As armas de guerra seriam transformadas em utensílios de paz, em vez do aprendizado de guerra, das constantes guerras pelos poder, as nações estariam unidas em Cristo Jesus. Realmente a situação do mundo mudou, se não para os filhos da desobediência, que insistem em permanecer incrédulos, para nós que não tínhamos direito a nada, nossa vida é como se estivéssemos mesmo sentando debaixo de uma videira ou figueira, porque já o diabo embora produza suas tentações, não tem direito mais a fazer acusações, o Senhor dos exércitos enviando o seu maior general, com uma estratégia perfeita, ganhou a batalha contra o império da morte.

Bendito seja Deus!

Miquéias enxerga o futuro, em que as ruas do interior, seriam limpas da corrupção dos que habitavam nas fortalezas, seres que achavam estarem protegidos da limpeza divina. Chegaria o dia em Israel negaria o Santo e o justo, aceitando no seu lugar um homicida (Atos 3:14), em troca da sua crucificação, o Príncipe da vida seria morto, mas Deus não levaria em conta o tempo da ignorância (Atos 17:30). Mas para aqueles que nunca foram povo, a paz e a vida estariam diante deles, como realmente aconteceu, quando pelo ministério de Paulo, a pregação do evangelho se voltou para os gentios.

“Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel. Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome" (Atos 9:15-16)


O profeta prediz que Israel andaria em Nome do Senhor, “o nosso Deus”, para todo o sempre, pelo caminho que conduz a vida, bem diferente das nações que louvavam seus deuses vazios, como andando em círculos.

É necessário que você saiba a verdade, aquela que possa te consolar, que não fará promessas vazias que jamais se cumprirão.

O Senhor diz “naquele dia”, um dia que haverá realmente, não uma data imprecisa conforme pregam os que desconhecem o entendimento, o Senhor ajuntará os que tropeçam e os dispersos, a quem ele mesmo afligiu para cumprimento da sua palavra. Veja que mesmo diante do juízo contra o seu próprio povo, o Senhor é aquele que usa habilmente a ferramenta da justiça, que pode trazer a paz permanente, o Espírito é aquele que reduz a ignorância do homem ao sentimento do arrependimento, que trás o coração de volta aquele que o formou.

Somente pelo Espírito irmão, irmã, você reconhece o Senhor morando dentro de ti, ainda que haja a disciplina, ele jamais te abandona, ainda que tudo pareça trevas, ele te retorna para luz, mesmo que você esteja tropeçando, disperso, dispersa, em outro planeta, como dizendo, muito longe da presença divina, ele é capaz de trazer você de volta para os braços.

Sirva ao Senhor, Israel tropeçou, mas a mão do Senhor se estendeu, seu braço não ficou encolhido. Os exilados em cativeiro sofreriam e seriam julgados pelas consequências dos seus pecados, mas fariam parte novamente da nação forte que o Senhor estava preparando.

O intento e a entrega do Filho pelo mundo:

“Ele se entregou por nós a fim de nos remir de toda a maldade e purificar para si mesmo um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras” Tito 2:14

O mal não triunfa, o Senhor reina!

“...daquele dia em diante e para sempre”

Um domínio jamais visto é anunciado, um reino de grande esplendor, que nenhum outro que já passou pode se comparar, superior aos reinos de Davi e Salomão. Por um momento parece que o REI não vai estar ali, assentado no trono, com seu cetro de poder, por um tempo a nação vai gritar como seu não houvesse rei, nem esperança alguma para reverter a punição. Como uma mulher grita para ganhar o seu lindo bebê, segundo a natureza, até que Israel novamente nascesse para a verdade, os dias em cativeiro na Babilônia seriam desesperadores, gritos de muita dor. Quando estavam protegidos pelos muros, Israel não considerou perseverar, os dias de agonia, como a mulher em trabalho de parto, seriam suficientes para purificar o povo de Deus, porque também assim são aqueles, que Cristo ainda não está formado dentro dele, o apostolado sentia tais dores de parto pelos tais (Gálatas 4:19).

Um dia a agonia na Babilônia, no outro a alegria da libertação.

Como Israel foi resgatada, assim também fomos.

“Lá o Senhor a resgatará da mão dos seus inimigos”

Como o inimigo não conseguiu esmagar Israel, porque assim foi determinado por Deus, também o mundo não tem esse poder para nos esmagar, antes pelo contrário afirma o Espírito Santo:

E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés” (Romanos 16:20)

No tempo determinado por Deus, as nações vão se reunir contra Israel, para poluir os seus habitantes. Os mestres bíblicos não determinam em qual época será, quais também são as nações, mas o que Miquéias escreveu esclarece pela vitória, afinal, os povos que não conhecem o pensamento do Senhor, nem compreendem os seus planos, serão despedaçados, porque o povo socorrido por Jesus Cristo não sofrerá o dano da morte. Sião é descrita com grande poder, com eficácia para despedaçar muitas nações, todas as coisas serão dedicadas ao Senhor.

O anúncio da esperança em meio ao caos espiritual. Bendito seja Deus! Esse é o seu Deus. Miquéias prediz sobre o Cristo, como outros também falariam, morreram, mas a palavra continuou falando, até que de fato, o próprio Cristo pudesse falar (Hebreus 1:1), ele era a própria Palavra da vida, que os profetas não viram embora sentiram (1 pedro 1:11), que os apóstolos viram e apalparam (1 João 1:1), que nós que ainda não vejamos, sentimos do mesmo modo pela fé (1 Pedro 1:8).

Essa palavra é eficaz no seu cumprimento, o mal até pode alastrar-se sobre a terra, isso não quer dizer que os dias bons não estejam reservados. Lembre-se do que disse o Senhor “nos últimos dias”, isso de fato quer dizer, que os dias que haverão de se seguir, serão plenos da paz de Deus, sem lembrança nenhuma do passado.

Bendito seja o nome de Deus!! O seu mundo, pode não estar como nos dias de Miquéias, convenhamos, não está tão diferente, contudo, mantendo a lei divina dentro do seu coração, prova-se que você realmente é nascido, nascida do Senhor, sendo assim, ele tem cuidado de ti, porque você descende daquele homem, amigo dele, para o qual ele fez uma promessa.

E, se vocês são de Cristo, são descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa” (Gálatas 3:29)

Mais do que vencedores...

Deus te conceda paz!!

Admin
Admin

Mensagens : 2943
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum