AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/online: Atos 14 (Não me arrependo, nunca me arrependi, Do dia em que em tuas mãos, minha vida entreguei)

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/online: Atos 14 (Não me arrependo, nunca me arrependi, Do dia em que em tuas mãos, minha vida entreguei)

Mensagem por Admin em Dom Fev 08, 2015 5:28 pm




Palavra - Atos 14:19-23


Sobrevieram, porém, alguns judeus de Antioquia e Icônio e, havendo ganhado o favor do povo, apedrejaram a Paulo, e arrastaram-no para fora da cidade, dando-o por morto. Mas quando os discípulos o rodearam, ele se levantou e entrou na cidade. No dia seguinte partiu com Barnabé para Derbe. Evangelizando aquela cidade e tendo feito muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, confirmando as almas dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé e dizendo que por muitas tribulações nos é necessário entrar no reino de Deus. Tendo feito eleger para eles presbíteros em cada igreja, depois de orar com jejuns, encomendaram-nos ao Senhor, em quem haviam crido.”


Saudações irmãos e irmãs, a todos que se orgulham de acreditarem no Deus vivo, dominador de nossas vidas, solucionador de todas nossas causas. Que a providência divina que abundou entre profetas e apóstolos, seja ainda mais dispensadas sobre vossas cabeças, que o conhecimento se eleve, que a esperança seja fortalecida, porque nenhuma tribulação é mais forte, do que aquele que luta por você.

O possível escritor de Atos é considerado Lucas, escrito para um oficial romano de nome Teófilo (Atos 1:1), em data provável entre 60 d.C. e 90 d.C., são inúmeros comentaristas bíblicos, que dedicaram suas vidas a colher informações, para que junto do Espírito que tudo pode, abrir os horizontes das civilizações quanto as fatos acontecidos, que levaram ao nascimento de Jesus Cristo, da promessa feita a Abraão até o exílio de João na ilha de Patmos.

E como é edificante estar diante do Senhor, toda e qualquer palavra que lemos na Escritura, trás para nós o doce fruto da justiça divina, que homens não compreendendo, julgam de maneira irracional os caminhos tomados, as decisões que Deus executou para levar o homem a paz. No Velho Testamento sua família foi Israel, no Novo Testamento a família aumentou, aqueles que não eram povo, agora são povo de Deus (1 Pedro 2:10).

Bendito seja, o perseguidor do caminho (Atos 22:4), que alcançou misericórdia (1 Timóteo 1:13), Jesus fez dele exemplo para os que haveriam de crer para a vida eterna (1 Timóteo 1:16). Aparecendo o Salvador que aboliu a morte, trazendo “à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho” (2 Timóteo 1:10), chamou para suas testemunhas 12 apóstolos, depois constituiu também Paulo, “pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios” (2 Timóteo 1:11), para padecer, sem qualquer vergonha, pelo evangelho e sofrer pelos eleitos, conforme sua declaração podemos chegar a exata imensidão do seu amor: “porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia” (2 Timóteo 1:12).

Esse amor apostólico contagia nossos corações, não somos tão duramente perseguidos, isso não quer dizer que nossas tribulações, não machuquem deixando suas cicatrizes. Nesta narração de Atos, Paulo e Barnabé sofreram uma ameaça de apedrejamento, que Deus por prevenção os poupou (Atos 14:5-7), porque apesar de pregar aos gentios, em algumas localidades haviam os opositores, no caso sua própria família, os judeus, que pelos corações endurecidos, consideravam a pregação do evangelho um crime que deveria ser punido com a morte.

Fugindo da morte os pregadores do Senhor, entrando em uma cidade da província romana chamada Listra, agraciaram pelo poder de Deus, um homem aleijado dos pés, que nunca havia andado (Atos 14:8), ao fitar dos olhos de Paulo, que na verdade podemos crer, era o Cristo por intermédio dele curando, o homem levantou, saltou e começou a andar (Atos 14:9-10).

O milagre foi dedicado aos deuses, pensaram eles serem os servos de Deus, os deuses gregos sem vida que eles louvavam, querendo sacrificar-lhes, Paulo e Barnabé rasgando suas roupas, repeliram prontamente qualquer honra que não fosse ela dedicada ao Senhor (Atos 14:14-15).

Ali abriu-se a porta da Palavra, humildemente, com toda honestidade, o evangelho foi pregado a todos os ouvintes, “anunciamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra, o mar, e tudo quanto há neles; O qual nos tempos passados deixou andar todas as nações em seus próprios caminhos” (Atos 14:15-16). Com grande dificuldade impediram as multidões, na verdade com muita coragem, sem saber que uma conspiração se formava, prevalecendo ela, apedrejaram Paulo covardemente, jogando-o para fora da cidade, com a certeza de que ele já estava morto, o diabo em alegria deve ter exclamado, “na boca desse a palavra já cessou”.

Bendito seja o Senhor, irmãos e irmãs, apesar das grandes tribulações, por causa dos corações duros, que não quiseram acolher as novas verdades, a providência divina controlou toda situação, sabendo que apóstolos estavam em constante perigo. Sim Deus permitiu que fossem perseguidos, com todo o poder, com toda a intensidade dos sofrimentos, a semente do evangelho prosperou ainda mais, para alegria dos dedicados a causa do Senhor.

E o Senhor sabe que você espera por alguma coisa, um milagre especial, solução para algum problema, seja o que for, as lágrimas, a tristeza, o desânimo, as feridas abertas, nenhum dano que o diabo possa fazer, pode aniquilar a sobrevivência pelo Espírito do Senhor, que a cada dia renova as esperanças, seca a lágrima, fortalece o espírito, cura as dores.

Os discípulos rodearam o corpo morto de Paulo, ele abriu os olhos, não consta, cremos que uma felicidade sem igual, invadiu os corações dos convertidos, o Deus que fez o coxo andar, trouxe também Paulo novamente a vida, a hostilidade dos judeus não conteve o amor do Senhor, o apóstolo levantou, entrou na cidade, enfrentou o ódio que queria esmagá-lo, agradeceu ao Senhor, os pés calçados com o evangelho da paz, com seu companheiro, se dirigiram para outra cidade (Atos 14:20). Glória ao nome do Deus maravilhoso.

Esse é o milagre da sobrevivência, não houve prejuízo físico sério ao corpo de Paulo, ficaram as marcas do ódio, sem que a morte pudesse tocá-lo, a vida de Jesus Cristo foi sua proteção até o fim, livrando-o da boca do leão (2 Timóteo 4:17), até que definitivamente ele ganhasse a Cristo (Filipenses 1:24).

Profetas, apóstolos, diáconos, cooperadores, evangelistas, todos passaram por grandes perseguições, sem que elas apagassem seus nomes do livro da vida.

Por todas as tribulações que passaram, a palavra do Senhor chegou até os nossos corações, para demonstração da resistência dos crentes, que são chamados conforme o decreto do Senhor. Conspiraram, apedrejaram, “está morto”, não estava! O Deus vivo reavivou o espírito de Paulo. Ele e Barnabé partiram continuando a evangelizar, sendo progenitores de muitos que converteram-se ao Senhor, a cada um desses convertidos, fortaleceram com suas experiências, adquiridas através do poder daquele que ganhou todo poder no céu e na terra, Jesus Cristo.

Exortaram a igreja a permanecer na fé, esta mesma mensagem, é repassada agora ao vosso coração, que tanto almeja a consolação.

O conselho da palavra:

“Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. “ (Tiago 5:13)

Na carta aos Romanos o apóstolo perguntou, “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?” (Romanos 8:35).

Nenhuma delas.

As muitas tribulações nos qualificam para entrar no reino de Deus, porque elas são sinais do ódio que é investido contra nós, que temos o amor de Deus derramado em nossos corações. O diabo que não se conforma com o crente servindo a Deus, prova que estamos no caminho certo, ele, que não aceita o amor com que Deus nos ama, de igual modo o que sentimos pelo Senhor que nos resgatou, cria toda forma de tormenta que pelo poder do alto é dissipada, tudo isso que suportamos, as muitas tribulações, o padecer pelo nome de Cristo, aumentam mais e mais o nosso depósito.

Sair do mundo, entrar no reino, dar adeus as tribulações, encontrar-se com as alegrias. Enquanto isso não acontece, sigamos organizados com as coisas do Senhor, em tudo aquilo que é necessário para a espiritualidade. Em cada lugar os apóstolos elegeram líderes para a igreja, com muito jejum e oração, ordenando a confiar em quem haviam crido.

Entre os perigos de suas jornadas, os apóstolos não cederam as tribulações, os perigos apareceram de diversas formas: perigos nos rios, com ladrões, com seus próprios concidadãos judeus, com os gentios, perigos nas cidades, na solidão, no mar, até mesmo entre falsos irmãos (2 Coríntios 11:26). Todos estes foram salvos de todos os males, preservados para o reino celestial (2 Timóteo 4:18).

“A ele a glória por toda a eternidade! Amém.

Não me arrependo, nunca me arrependi,
Do dia em que em tuas mãos, minha vida entreguei,
Nas tribulações constantes, uma fortaleza encontrei,
Um local seguro para depositar meu coração,
O mal um dia deixará de existir,
Já o bem que fazes, para sempre me alegrará,
Quando estiver no reino que me dará.

Deus abençoe irmãos, irmãs, a cada um, com simplicidade de alma, a sombra de Deus, todo o perigo haverá de recuar. Nossos passos obedientes, a humildade, a honestidade, nos ajudam a caminhar, somos fracos, mas não existe o que possa nos vencer.

Admin
Admin

Mensagens : 2943
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum