AS MARCAS DE JESUS
Paz, a todos os corações e Deus esteja com todos.

Palavra do jovem e palavra de Deus todo domingo.

Eldier






Palavra de Deus/online: Isaías 51 (“escutem-me, vocês que buscam a retidão e procuram pelo Senhor”)

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Palavra de Deus/online: Isaías 51 (“escutem-me, vocês que buscam a retidão e procuram pelo Senhor”)

Mensagem por Admin em Dom Fev 22, 2015 5:11 pm





Palavra - Isaías 51:1-16




Escutem-me, vocês que buscam a retidão e procuram pelo Senhor: Olhem para a rocha da qual foram cortados e para a pedreira de onde foram cavados; olhem para Abraão, seu pai, e para Sara, que lhes deu à luz. Quando eu o chamei, ele era apenas um, e eu o abençoei e o tornei muitos. Com certeza o Senhor consolará Sião e olhará com compaixão para todas as ruínas dela; ele tornará seus desertos como o Éden, seus ermos, como o jardim do Senhor. Alegria e contentamento serão achados nela, ações de graças e o som de canções. "Escute-me, meu povo; ouça-me, minha nação: A lei sairá de mim; minha justiça se tornará uma luz para as nações. Minha retidão logo virá, minha salvação está a caminho, e meu braço trará justiça às nações. As ilhas esperarão em mim e aguardarão esperançosamente pelo meu braço. Ergam os olhos para os céus, olhem para baixo, para a terra; os céus desaparecerão como fumaça, a terra se gastará como uma roupa, e seus habitantes morrerão como moscas. Mas a minha salvação durará para sempre, a minha retidão jamais falhará. "Ouçam-me, vocês que sabem o que é direito, vocês, povo que têm a minha lei no coração: Não temam a censura de homens nem fiquem aterrorizados com seus insultos. Pois a traça os comerá como a uma roupa; o verme os devorará como à lã. Mas a minha retidão durará para sempre, a minha salvação de geração a geração. " Desperta! Desperta! Veste-te de força, ó braço do Senhor; acorda, como em dias passados, como em gerações de outrora. Não foste tu que cortaste o Monstro dos Mares em pedaços, que traspassaste aquela serpente aquática? Não foste tu que secaste o mar, as águas do grande abismo, que fizeste uma estrada nas profundezas do mar para que os redimidos pudessem atravessar? Os resgatados do Senhor voltarão. Entrarão em Sião com cântico; alegria eterna coroará suas cabeças. Júbilo e alegria se apossarão deles, tristeza e suspiro deles fugirão."Eu, eu mesmo, sou quem a consola. Quem é você para que tema homens mortais, os filhos de homens, que não passam de relva,para que você esqueça o Senhor, aquele que fez você, que estendeu os céus e lançou os alicerces da terra, para que viva diariamente, constantemente apavorado por causa da ira do opressor, que está inclinado a destruir? Pois onde está a ira do opressor? Os prisioneiros encolhidos logo serão postos em liberdade; não morrerão em sua masmorra, nem terão falta de pão. Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, que agito o mar para que suas ondas rujam, o Senhor dos Exércitos é o seu nome. Pus minhas palavras em sua boca e o cobri com a sombra da minha mão, eu que pus os céus no lugar, que lancei os alicerces da terra, e que digo a Sião: ‘Você é o meu povo’. "


Irmãos, irmãs, buscadores da consolação, desbravadores do reino, lutadores corajosos, a vocês a paz de Deus. Entre todos as coisas, a mais importante, o Senhor estar em vossas vidas, como esteve com Israel, conduzindo, defendendo, derramando misericórdia, na ausência de fidelidade do homem, houve abundância da divina, graças rendemos a Deus, por estarmos numa posição estimada diante dele, por causa do sacrifício do Filho, que aplacou sua ira, trazendo a bondade para perto, nenhuma coisa fizemos para merecer o favor, ele veio por graça, seja a nossa vida continuamente a louvar o Salvador, o ser divinal que preocupado com sua criação, pagou as dívidas com o pecado, em liberdade, com o caminho limpo, coração e mentes purificados, embora vivendo no mundo, caminhamos para glória, a cada dia passado longe ficamos das tribulações, perto estamos do “do eterno peso de glória”.

As palavras dadas ao profeta Isaías, enchem o coração de esperança, Deus estava bem próximo ao seu profeta, encorajando a nação exilada, predizendo os dias da salvação vindoura. Entregues por causa da transgressão, Judá sentiu os duros golpes do conquistador estrangeiro, as condições de impotência, geraram um desespero generalizado, que só através de Deus os corações poderiam ser aliviados. Difícil é entender o afastamento de Israel do caminho da retidão, mesmo tendo Abraão como patriarca, “amigo particular do Senhor”, herdeiro de uma promessa.

Diletos, não deixe seu coração longe do trono da graça, deleite-se no Senhor em tudo, ele sempre será a única alternativa. Como Israel foi escavado de uma rocha perfeita, primeiramente o ser divino, segundo lugar o homem Abraão, também nós pertencemos a mesma rocha. Os inimigos (assírios e caldeus) dos judeus não prosperariam para sempre, o mesmo Senhor que os enviará, concederia a liberdade, como houve o dia para a devastação, o dia da liberdade também já estava decretado.

A mesma palavra que trouxe o cativeiro, é a mesma protetora dos escolhidos, da família de Deus. O Pai enviou o castigo para purificação, não permitiria a dizimação da raça santa, o seu eterno decreto, o governo soberano, que promove a salvação, retornaria os cativos para Jerusalém, até mesmo os que estivesse fora dos limites de Sião, não seriam desamparados pela sua presença.

Uma palavra de misericórdia “escutem-me, vocês que buscam a retidão e procuram pelo Senhor”, temerá alguma coisa aquele que dar atenção ao que diz o Senhor? Um convite a reflexão, “olhem para rocha”, lembrem de Abraão e Sara, a história comovente de um casal, que deu início ao propósito divino, não foi pela palavra de Deus que até aquele momento a história havia sido preservada? Não seria por ela mesma que o verbo encarnaria para continuar sustentado a história?

Escutem o Senhor, como Isaías estava pedindo a Judá, sempre escutem o Senhor, que de apenas um homem, espalhou sua benção por todos os continentes, também nós brasileiros. O profeta diz “com certeza o Senhor consolará Sião e olhará com compaixão para todas as ruínas delas”, a esperança anunciada, um destino glorioso aguarda o povo do Senhor, os lábios purificados do profeta enviado, também se abriam para sorrir diante da salvação anunciada, outros povos teriam comunhão com suas palavras, num futuro, as Bíblias se abririam no seu livro, nos púlpitos de várias denominações, para que o rebanho do Senhor, pudessem ouvir as palavras que o Senhor soprou aos seus ouvidos, nenhum deles escreveu para si mesmo, fizeram anotações movidos pelo Espírito Santo, coisas maravilhosas que agora nós utilizamos para o bem-estar da nossa alma, que quando em profunda tristeza, somente diante delas renova as forças para continuar.

Um Éden moderno é também o que espera a igreja, um lugar bem distante desse deserto, que investe contra o povo do Senhor. Ah venha logo Senhor! Venha buscar o seu povo, como despertou Israel, diariamente desperta nosso coração, em todos os lugares com mãos santas, seja o nosso entendimento aperfeiçoado, para perfeita compreensão da sua vontade. Ah Senhor, queremos chegar logo no teu reino, entrar pelas portas, revestidos da imortalidade, que dádiva será habitar no paraíso.

No teu reino,
Espero, como parte do teu jardim,
O jardim do Senhor,
Ser regado com a tua virtude,
Receber da luz maravilhosa,
Eternamente livre dos perigos do mundo.

Descrita uma alegria sem fim, “escutem-me, meu povo, ouça, minha nação”, um Pai declamando palavras de vitória, aos que se achavam desprotegidos da sua sombra. Instruídos pelo Senhor, pessoas de todas as nações, receberiam da sua misericórdia, o que de fato, consumou-se com o aparecimento de Jesus Cristo. Isaías profetizou a salvação que estava se encaminhando, ela chegaria a terra no ventre de uma mulher, cumprida a palavra destinada a salvar, Jesus apareceu para ensinar a rota perfeita, que leva aos céus, para os obedientes um caminho de fácil acesso, já os negadores jamais encontrarão a porta que leva a entrada, pois negam a conhecer a Deus (2 Tessalonicenses 1:8).

Os inimigos não suportariam a vingança, mesmo em exílio, a raiz jamais esteve morta, certamente o pecado causou muitos estragos, afastar-se de Deus nunca foi a melhor opção, cegos, os israelitas assinalaram o (x) na alternativa errada, seus corações endurecidos seriam amolecidos pelo castigo, a ausência temporária da presença divina, estando em um reino estranho, sem conhecimento de Deus, traria as consciências um terrível arrependimento, até que Deus passado o tempo da sua determinação, trouxesse o remanescente a salvo de volta a Sião.

Os descendentes da rocha veriam a salvação, “ouçam-me”, ouvindo o Senhor não temendo o que pudesse fazer o homem, o estrangeiro, os inimigos sem temor de Deus, a justiça seria realizada, Isaías rompe o silêncio desolador, com palavras de alívio para as almas, que esperavam em Deus o dia da redenção.

Bendito seja Deus!

Coisas que você também espera irmão, irmã, os dias apesar de maus, cheio de notícias ruins, as vezes tão complicados para alguns em particular, tem seu alento no conforto do Senhor, como o próprio Isaías predisse, “a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar” (Isaías 59:1), basta aguardar no Deus vivo, com esperança em seu braço. Versos denunciam os castigos iminentes que serão acometidos os inimigos, eles teriam pouco tempo sobre a terra. A salvação permaneceria sobre Judá, o braço da ajuda fora despertado, a força de Israel, o braço do Senhor, que nos dias passados carregou Israel, quando nos dias que estavam no Egito, derrotou o “monstro dos mares” em pedaços, o exército de faraó que procurava a destruição do povo sagrado, o Senhor secou os mares, uma estrada foi aberta nas profundezas do mar, um grande milagre sobrenatural, para passar os redimidos em completa salvação.

Assim voltaria o povo resgatado, os babilônios se confrontariam com a mesma intervenção, o maior império da terra, não resistiria ao governante supremo do universo, que com grande amor, derramaria da alegria eterna.

Toda vez que for necessário,
Um caminho abrirá o Senhor,
Pavimentado com a força,
Construído por misericórdia,
Projetado com muitíssimo amor.

Elevem suas mentes as palavras do grande profeta, ao sublime momento do grande pronunciamento, da exaltação de um povo oprimido, esperando a coroação da alegria.

“ Júbilo e alegria se apossarão deles, tristeza e suspiro deles fugirão."Eu, eu mesmo, sou quem a consola. “


O Senhor perguntou quem era Israel, Judá, para temer os homens mortais, os filhos dos homens, que não permanecem. Sião havia esquecido do Senhor, aquele que havia formado Israel, o grande Criador do mundo, “que estendeu os céus e lançou os alicerces da terra”, a sobrevivência diária era um apavoramento só, “por causa da ira do opressor”, “o destruidor”, temiam mais o que estava fazendo o homem, do que aquele a quem proclamou o castigo, esse quadro seria revertido, a confiança estava sendo depositada novamente nos corações, eles teriam a certeza de que a liberdade estava próxima.

O Senhor, “o seu Deus”, o nosso Deus, o “Senhor dos exércitos”, suas palavras estavam na boca de Isaías. O rei, o imperador, o grande homem, perdura um só momento, ele não resiste ao tempo, nem ao único Deus eterno. Bendito seja Deus!! Nenhum homem participou dos decretos divinos, nenhum deles pode ser empecilho para Deus exercer sua misericórdia. Não há exército maior que o celeste, nem um general maior que o Senhor, quem pertence ao povo do Senhor, para sempre está seguro pela promessa, pelo sangue de Jesus Cristo.

Seja para os cativos, seja para os predestinados, a palavra do profeta, abrange o presente e o futuro de liberdade. Cobertos foram os israelitas, com a mão potente do Salvador:


Você é o meu povo" (Isaías 51:16)


Vocês diletos, irmãos, irmãs, fazem parte do mesmo povo, da mesma rocha:


E, se vocês são de Cristo, são descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa” (Gálatas 3:29).


Para o cristão sempre o melhor fim, o ponto final do Senhor é alegria para os obedientes, estar ao lado de Cristo é um privilégio, pertencer a Deus é uma dádiva, fazer parte de uma história, onde o autor principal tem toda a autoridade, é indizível.

Deus abençoe.

Admin
Admin

Mensagens : 2941
Data de inscrição : 09/07/2010

http://ccbnovascriaturas.forumeiro.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum